Segunda geração repete personalidade forte e evidencia carroceria com pegada cupê

Considerado um dos veículos mais emblemáticos da história recente da Nissan do ponto de vista do design, o crossover compacto Juke acaba de chegar oficialmente à segunda geração. Lançado originalmente em 2009, o crossover repete a ousadia que lhe é característica e mantém a personalidade forte como um dos principais diferenciais diante da concorrência. Ao longo desses 10 anos, as quase 1 milhão de unidades acumuladas no currículo provam que a estratégia deu certo. Não por acaso, a ordem agora é ampliar os números com a receita que já se provou exitosa e aperfeiçoar a fórmula com doses extras de tecnologia, eficiência e habitabilidade.

Galeria: Nissan Juke 2020

Além de ter amadurecido do ponto de vista estético, o Juke 2020 ficou mais comprido, mais alto e mais largo que o modelo da primeira geração. Agora são ao todo 4,21 metros de comprimento, 1,59 m de altura e 1,80 m de largura, contra 4,13 metros, 1,56 m e 1,76 m, respectivamente. Além disso, o crossover se tornou mais amigável internamente, oferecendo 5,8 cm extras de espaço para os joelhos dos ocupantes do banco traseiro, 1,1 cm a mais para a cabeça e um total de 422 litros armazenamento de bagagens no porta-malas (aumento de 20%). Apesar disso, é cerca de 23 kg mais leve que o antecessor graças principalmente ao uso de aços de alta resistência.

"O novo design e uma experiência de condução emocionante serão elementos de atração para um número cada vez maior de clientes de crossover compactos. O Juke cresceu em termos de tamanho, mantendo as qualidades que sempre o tornaram um carro diferenciado e divertido de dirigir", argumentou Ponz Pandikuthira, vice-presidente de planejamento de produtos da Nissan Europa. A marca classifica a nova pegada visual como de caráter atlético e destaca que as rodas de 19 polegadas junto ao teto flutuante pintado em tom contrastante com a cor da carroceria passam a ideia de que o carro esta "suspenso", característica típica de cupês. Some a isso o conjunto frontal agressivo com faróis divididos em dois andares, sendo o conjunto principal com formato circular e arranjo interno em forma de Y.

Nissan Juke 2020

A paleta de cores será composta por 11 diferentes opções para a carroceria e 3 diferentes tonalidades para o teto (sempre com tons contrastantes). Na cabine, o painel foi completamente redesenhado e agora adota novos posicionamentos para direção e câmbio, com ganhos diretos em ergonomia e conforto para o motorista. Há ainda novos materiais de toque suave no acabamento do painel e portas, assim como bancos com formato esportivo que abraçam melhor os ocupantes. Dependendo da versão, há diversos pacotes de personalização, incluindo revestimentos do painel e console na cor da carroceria, além de Alcântara. No quesito conectividade, destaque para a central multimídia de 8 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto.

Nissan Juke 2020
Nissan Juke 2020

Em termos de tecnologia, destaque para o sistema ProPILOT, que auxilia o motorista durante a aceleração, direção e frenagem de modo a manter a velocidade e a distância certa do veículo à frente. Há ainda um pacote completo de tecnologias de segurança, incluindo sistema inteligente de frenagem de emergência com reconhecimento de pedestres e ciclistas, detecção de sinalização rodoviária, alerta de mudança de faixa, sistema inteligente de detecção de obstáculos em movimento e alerta de pontos cegos (este último, caso detectada a presença de algum obstáculo, é capaz de redirecionar automaticamente o carro para evitar acidentes). 

Sob o capô, a Nissan anuncia a presença de um motor 1.0 turbo de 117 cv ligado a um câmbio manual de 6 marchas ou automático de dupla embreagem e 7 relações. Dados sobre consumo e desempenho não foram revelados até o momento. Toda a produção do Juke será concentrada em Sunderland, no Reino Unido, com as primeiras entregas para clientes europeus programadas para o final de novembro.

Fonte: Nissan