SUV chegará ao Brasil somente em 2020, para brigar com o Jeep Compass

O lançamento do Ford Territory no Brasil acontecerá apenas em 2020, mas isso não impediu a fabricante de já começar sua divulgação. O crossover ganhou uma página no site da marca e também um vídeo do carro em suas redes sociais, ainda sem revelar detalhes como motorização e versões. Virá importado da China e deve ter preços entre R$ 110 mil e R$ 130 mil.

Galeria: Ford Territory

Apresentado ao público no Salão do Automóvel de São Paulo 2018, o Ford Territory é um modelo criado a partir do chinês JMC Yusheng S330. O site do modelo mostra apenas uma foto do carro de frente e diz que ele irá “estabelecer novos padrões no segmento de SUVs”, oferecendo equipamentos como carregador de smartphone por indução, central multimídia e painel de instrumentos com telas de 10”, e um sistema de comunicação entre carro e celular, permitindo que o proprietário ligue o carro ou destrave as portas remotamente.

A Ford ainda diz que o Territory faz parte de uma nova geração de veículos Ford “que trará ao consumidor brasileiro a mais avançada tecnologia e proposta de valor do mercado”. A fabricante já havia dito o mesmo durante a confirmação da venda do modelo no Brasil, quando o presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters, disse que “o Territory é o começo do futuro da Ford na América Latina”.

Ainda não temos muitas informações sobre o SUV. Sabemos que ele tem 4,58 metros de comprimento, 1,93 m de largura, 1,67 m de altura e 2,71 m de entre-eixos, medidas que o colocarão bem próximo do Jeep Compass – que tem 4,41 m de comprimento e 2,63 m de entre-eixos. Na China, ele é equipado com um motor 1.5 turbo de 145 cv de origem Mitsubishi, acoplado ao câmbio automático de 6 marchas, além de ter uma versão puramente elétrica com 360 km de autonomia.

 

No Brasil, rumores apontam que ele deve adotar o 2.0 Duratec de 176 cv e 22,5 kgfm, usado pelo EcoSport na versão Storm 4x4. Como o SUV compacto restringiu a oferta deste motor à variante 4x4, poderia ser usado pelo modelo médio sem perigo de canibalização. Também ajudaria a deixar espaço para o Escape, modelo que virá importado dos EUA e que tem versões 1.5 turbo e variantes híbridas.

Fotos: Divulgação e Motor1.com

'