SUV médio baseado no Focus tem motores motores turbo 1.5 e 2.0, além de variante híbrida

O novo Ford Escape terá um papel importante para a marca norte-americana. Agora que a estratégia será focar os esforços nos SUVs e picapes, o crossover baseado no Focus será um dos modelos de maior volume, mas dentro de uma faixa de preço mais interessante para a empresa, com lucro maior que o dos compactos. Embora as vendas só comecem nos Estados Unidos no 3º trimestre, os preços foram revelados pelo site CarsDirect, com valor inicial de US$ 25.980 (cerca de R$ 104 mil).

Galeria: Ford Escape 2020

Nos EUA, o Ford Escape estará disponível em cinco acabamentos e com três opções de motores. As versões S, SE e SEL terão o motor 1.5 EcoBoost de 183 cv e 24 kgfm. A variante SEL ainda pode adotar o 2.0 turbo de 253 cv e 38 kgfm de torque, também usado no topo de linha Titanium. O sistema híbrido com motor 2.5 e outro elétrico, com potência combinada de 200 cv, está disponível para o Escape SE Sport e Titanium. Ainda terá uma motorização híbrida plug-in.

O preço inicial será de US$ 25.980, um aumento de US$ 780 sobre a geração anterior. Não será o mais barato do segmento no mercado norte-americano, título que pertence ao Hyundai Tucson, vendido por US$ 23.200 (R$ 93,1 mil). Porém, será mais barato do que alguns rivais como o Chevrolet Equinox ou Toyota RAV4.

A opção híbrida mais barata custará US$ 29.350 (R$ 117,8 mil), US$ 405 (R$ 1.625) mais caro do que o Toyota RAV4 Hybrid LE (que custa US$ 28.945, o equivalente a R$ 116,1 mil). Os números oficiais de consumo ainda não foram divulgados, mas a Ford diz que deve chegar a 16,5 km/litro, com uma autonomia de 885 km. A marca não revelou os preços da variante híbrida plug-in, que será lançada somente em 2020.

'

Se a Ford apostar em uma estratégia de preços mais agressiva, o Escape híbrido poderia chegar ao Brasil por um valor próximo do Toyota RAV4 Hybrid, que tem preço inicial de R$ 165.990. As variantes com motor a gasolina podem ficar na faixa de R$ 150 mil, o que dá espaço o suficiente para colocar o chinês Territory como opção pouco acima dos R$ 100 mil. Ambos são esperados por aqui entre o ano que vem e 2021.

Fonte: CarsDirect