Marca pretende enxugar gama para chegada de uma nova plataforma modular em 2021

Durante entrevista concedida para anunciar os resultados financeiros relacionados ao primeiro trimestre deste ano, a BMW confirmou que implementará um plano de enxugamento da gama até 2022 e que modelos com pouca demanda serão cortados do portfólio.

O primeiro deles será o Série 3 Gran Turismo, considerado visualmente polêmico por muitos fãs da marca. Nas palavras do próprio chefão da empresa, Harald Krüger, ele não terá sucessor. "Os compradores querem se sentar um pouco mais eretos e o nicho do GT está sob forte pressão dos SUVs", explicou.

Galeria: BMW Série 3 GT

O modelo nasceu em 2013 a partir da estranha combinação de sedã com perua, mas nunca chegou a ser um sucesso de vendas. Gerou polêmica no lançamento por conta do estilo controverso e acabou sendo engolido pelos SUVs. A partir de agora, a BMW diz que focará em veículos realmente competitivos e que cortará em 50% o número de variantes e versões de seus modelos. A ideia é preparar toda a gama para uma espécie de transição, tendo em vista a chegada de uma nova plataforma modular a partir de 2021.

Esta base virá acompanhada de uma série de avanços tecnológicos relacionados à pesquisa e desenvolvimento, principalmente recursos que envolvem simulações digitais. Até 2024, a empresa espera explorar essa tecnologia para reduzir em cerca de 2.500 o número de protótipos fabricados durante o desenvolvimento de novos veículos.

Fonte: BMW