"Meu coração sangra quando você faz essa pergunta", disse o executivo a jornalistas

A notícia certamente não agradará aos fãs mais puristas da Audi, mas é algo que corre sério risco de acontecer: o icônico esportivo TT pode estar com os dias contados. Em entrevista à revista britânica Autocar, o CEO Bram Schot foi questionado sobre o desenvolvimento de uma nova geração e confessou que o TT na forma como o conhecemos poderá deixar de existir. "Acho que há um futuro para este ícone, mas não sei se será um novo TT. Meu coração sangra quando você faz essa pergunta... Eu tenho algumas coisas que podem substituir o TT, mas não necessariamente de forma direta", disse.

Galeria: Audi TT RS 2019

A motivação para tamanha incerteza quanto ao futuro do TT tem relação direta com o plano de reorganização e corte de custos da Audi. Recentemente, a marca confirmou que planeja cortar cerca de US$ 17 bilhões em despesas e admitiu ter uma "base de custos muito alta". A ideia é economizar dinheiro para financiar o desenvolvimento de veículos elétricos e novas tecnologias. Vários motores poderão ser descontinuados e versões pouco vendidas serão extintas. O TT não é necessariamente um modelo de grande volume de vendas e corre série risco de acabar sendo vitimado também. De todo modo, a geração atual está garantida até 2022.

Quanto à sucessão, há quem aposte no lançamento de um cupê de quatro portas desenvolvido dentro da mesma pegada (porém mais espaçoso e com apelo comercial mais forte) ou até mesmo um SUV esportivo com visual cupê mais trabalhado.

Fonte: Autocar