Fabricante britânica opera em capacidade máxima para atender alta demanda

Talvez nem em suas previsões mais otimistas a Rolls-Royce poderia imaginar que o SUV Cullinan faria tanto sucesso. Considerado um dos veículos mais requintados à venda no mercado global, o modelo tem recebido tantos pedidos mundo afora que praticamente toda o volume produzido até o mês de julho já está encomendado. A fábrica britânica de Goodwood, única da empresa, está operando com capacidade máxima e não dá conta de atender à demanda no ritmo desejado pela marca. "Eu gostaria de ter um pouco mais de oferta", confessa Martin Fritsches, CEO da Rolls-Royce no mercado norte-americano.

Galeria: Rolls-Royce Cullinan

"Estamos utilizando 100% da capacidade de produção, aumentamos o ritmo de produção nas últimas semanas e meses, mas ainda assim não estamos conseguindo suprir a demanda", completou. Segundo o executivo, muitos clientes estão comprando o Cullinan como segundo veículo e o veem como uma aquisição natural para ampliação da coleção. "Muitos clientes que já possuem um Dawn ou um Phantom estão adquirindo seu segundo Rolls-Royce. Mas desta vez é um SUV", explicou.

A Rolls-Royce vendeu 4.107 veículos em todo o mundo em 2018 e estabeleceu um novo recorde. Para 2019, a expectativa é ampliar os números e alcançar uma nova leva de compradores, mas a restrita capacidade de produção pode ser um empecilho. No Brasil, o Cullinan esteve presente no Salão do Automóvel e disponível para encomendas com preços na casa dos R$ 3 milhões.

Fotos: Divulgação