Jeep não será vendida separadamente e grupo seguirá sólido, garantiu o chefão

Em meio aos lançamentos que levou para apresentar no Salão de Detroit (entre eles a nova geração da RAM 1500 e a reestilização do Jeep Cherokee), Sergio Marchionne falou à imprensa e anunciou notícias positivas para a FCA. De acordo com o executivo, o grupo chegará ao mês de junho com as contas no azul pela primeira vez em nove anos, contabilizando, portanto, mais dinheiro do que dívidas.

O bom resultado é atribuído ao momento vivido pelas marcas RAM e Jeep, além do alcance das agressivas metas financeiras estabelecidas ainda em 2014. "Finalizar o balanço com dinheiro em vez de dívida é um grande passo para nós", comemorou o chefão.

Leia também:

Jeep Cherokee 2019

Marchionne adiantou também que não há a menor intenção em separar a empresa para para vender as marcas individualmente, como se cogitou meses atrás. "Não vamos acabar com nada. Não temos a intenção de dividir ou dar qualquer coisa aos chineses", completou. O chefão foi só elogios à Jeep e disse que a marca será a grande responsável por ajudar o grupo a duplicar o lucro líquido nos próximos anos. A divisão, focada na produção de SUVs, deve vender mais de 2 milhões de unidades neste ano e, não por acaso, é a maior representante da FCA em mercados internacionais.

Como não poderia deixar de ser, Marchionne reafirmou sua cautela com o mercado de elétricos ao dizer que a expansão desse setor "está muito mais longe do que as pessoas pensam". Também disse que não conhece "uma pessoa, entidade ou organização econômica que esteja ganhando dinheiro com a venda desses veículos".

Fonte: Automotive News

Galeria: Jeep Cherokee 2019