Subcompacto surpreende no Latin NCAP ao pontuar melhor que Onix e KA

Um dos testes de colisão mais esperados do ano, o Renault Kwid foi avaliado pelo Latin NCAP e recebeu três estrelas do máximo de cinco. É a nota máxima que o compacto poderia receber, já que a entidade exige controle de estabilidade para que receba quatro ou cinco estrelas. A Renault havia prometido melhorar a estrutura do Kwid nacional, como resposta ao péssimo desempenho do modelo indiano, que zerou no teste do Euro NCAP.

Leia também:

Segundo o Latin NCAP, o Renault Kwid tem uma boa proteção para a cabeça e pescoço. Não foi tão bem na área do peito, com uma avaliação média, assim como a área das pernas. Apesar do vídeo assustar com a destruição da frente do veículo, a estrutura do habitáculo foi considerada estável, sem deformar ou invadir demais a cabine. O airbag do motorista trabalha no limite, fazendo um bom trabalho para impedir que a cabeça vá contra o painel. A proteção para crianças foi elogiada por usar ISOFIX e segurar as cadeirinhas no lugar durante a colisão.

Renault Kwid crash-test Latin NCAP

Já no teste de colisão lateral, o terror dos últimos carros testados com o novo protocolo do Latin NCAP, houve um pouco de penetração da barreira dentro do veículo, embora a coluna B consiga segurar a estrutura. As portas não abriram e ficaram no lugar. O airbag lateral de tórax, item de série no Kwid, forneceu uma proteção fraca à região do peito do passageiro. Como não tem airbags de cortina, não passou pelo teste de colisão contra poste. Além disso, também não conta com controle de estabilidade (nem como opcional), o que o impede de receber notas acima de três estrelas.

Renault Kwid crash-test Latin NCAP

Evolução

Apesar de alguns pontos fracos, o Latin NCAP elogiou o resultado, por ser um carro barato e acessível com bom nível de proteção e que evoluiu muito em relação ao Kwid vendido na Índia, que teve um péssimo resultado. Desde que a entidade atualizou o protocolo, muitos veículos passaram novamente pelo teste e tiveram sua nota rebaixada, tanto pela ausência do ESP quanto pelo resultado ruim no teste de colisão lateral.

Dos modelos testados novamente, o Fiat Palio caiu de quatro estrelas para uma. Um resultado até bom comparado com o Chevrolet Onix e os Ford Ka e Ka+. Os três zeraram na proteção lateral, por falta de uma estrutura mais forte. Em ambos os casos, a coluna B cedeu e invadiu a cabine, além da porta abrir com o impacto.

Como o Latin NCAP está refazendo o crash-test, muitos carros que antes tiveram uma nota alta ainda podem cair. E isso mesmo que tenham uma estrutura estável. O Volkswagen Up!, por exemplo, recebeu cinco estrelas. Mas, se passar novamente pelo teste de colisão, não poderá passar de três estrelas, já que não conta com controle de estabilidade, exigência para que receba notas melhores. Algumas fabricantes devem começar a colocar o item de série, visto que será obrigatório por lei a partir de 2020 para veículos novos ou reestilizados e, em 2022, para todos os automóveis.

Fotos e vídeo: Latin NCAP

Renault Kwid crash-test Latin NCAP