Marca é questionada nos EUA por brincadeira baseada em mentiras em momento que tenta reconquistar a confiança dos americanos

Como quase o mundo todo caiu na mentira, trazemos a opinião publicada por Motor1.com Estados Unidos que relata toda a dinâmica dos fatos. Tanto lá como aqui no Brasil, existe uma relação de confiança entre os meios e os departamentos de comunicação. Nosso time nos Estados Unidos fez isso, mesmo após receber o comunicado oficial, com os porta-vozes oficiais e recebeu a mentira como fato verdadeiro. Veja na sequência.

Para o bem ou para o mal, certos setores da indústria automobilística participam da tradição anual do Dia da Mentira. Reviramos os olhos e relatamos as histórias que inundam o noticiário do dia 1º de abril, sabendo muito bem que cada uma vem com uma cotovelada ou piscadela dos promotores que planejaram o absurdo a cada ano. Mas neste ano, a Volkswagen levou o Dia da Mentira longe demais.

Para aqueles que tiveram a sorte de não ouvir sobre isso, na tarde de 29 de março, o USA Today publicou um relatório que alegava que a Volkswagen estava mudando seu nome para “Voltswagen” após um comunicado à imprensa, datado de 29 de abril, ter aparecido brevemente na página de mídia da VW of America. O USA Today procurou um porta-voz da VW que não quis comentar, embora a empresa tenha falado com uma fonte anônima que confirmou que o lançamento não era uma piada. Eu imediatamente procurei duas fontes na Volkswagen of America - uma ofereceu um "sem comentários", enquanto a outra confirmou a notícia "em off".

Volkswagen ID.4

Na terça-feira, a VW fez sua jogada, mudando os logotipos, atualizando os identificadores do Twitter e emitindo um comunicado à imprensa real com comentários do presidente e CEO da VW of America, Scott Keogh, confirmando que a mudança aconteceria oficialmente em maio de 2021. O comunicado à imprensa era uma comunicado oficial - não era uma cutucada ou uma piscada que sugere uma brincadeira. O Motor1.com (primeiro em nossa edição nos Estados Unidos), como quase todos os outros veículos de comunicação, engoliu a isca (isca oficial). Nós estávamos errados.

Há um argumento a ser feito de que tudo isso foi um erro, que a Volkswagen acidentalmente publicou o lançamento antes, em vez de publicar no dia 1º de abril, e simplesmente fracassou na recuperação desse erro.

Mas se eu quisesse enganar completamente a mídia, faria exatamente o que aconteceu aqui: publicar o comunicado e esperar até que alguém importante pegue a história, em seguida, tirar o comunicado do ar para que pareça um erro, sabendo que nada atiça o fogo dos meios de comunicação como um vazamento “acidental” por parte da montadora. Eu confirmaria a notícia repetidamente para qualquer pessoa que solicitasse comentários. Então eu sentaria e assistiria.

Enquanto nos últimos anos cair na pegadinha resultaria em nada mais do que algumas gozações bem-humoradas de colegas e amigos no Twitter, a proeza da Volkswagen caiu de forma diferente. Depois de quatro anos lutando contra fake news, descobrimos que a decisão da empresa de enganar a imprensa a serviço de seu tom de piada surdo. As reações no Twitter foram em partes iguais rápidas e cortantes, como o exemplo abaixo:

Todo esse episódio realmente me irritou. Não porque nós (Motor1.com e outros veículos de comunicação da mídia automotiva) caímos na piada, mas porque grande parte dela foi baseada em porta-vozes que costumávamos confiar de maneira direta. A Volkswagen, como empresa, tem lutado para reconquistar a confiança do público e reabilitar sua imagem após Dieselgate,  escândalo das emissões de diesel e, até agora, estava indo bem. Eu adorei o ID.4 quando o dirigi e fiquei animado com as perspectivas dos Volkswagens elétricos desde então.

Esta proeza é uma marca negra no progresso da Volkswagen. E embora seja fácil ver o que está escrito aqui como um sinal de virtude em nome da honestidade e da santidade do jornalismo, a decisão da Volkswagen de enganar a mídia e o público (mais uma vez, pode-se argumentar) teve consequências reais além do nosso cantinho na internet.

O preço das ações da empresa abriu na manhã de segunda-feira em $33,13. Por volta das 15h de terça-feira, passou de US$ 38. Como o tweet acima observa, um analista de mercado até emitiu uma nota sobre a mudança de nome. As piadas deixam de ser piadas quando têm consequências no mundo real, e é muito claro, com base em uma rápida olhada nos preços das ações, que o engano da Volkswagen da América teve consequências muito reais.

Vou deixar vocês com um último tweet sobre a última controvérsia da VW de Nick Bunkley da Automotive News:

Aparentemente, a direção norte-americana não achou tão grave a brincadeira. Nesta quarta-feira, 31 de março, a VW America compartilhou um não-pedido de desculpas nas redes sociais como se isso ainda fosse uma grande piada, em vez de um enorme erro de relações públicas. Mas, para citar um meme da internet, quando a piada acaba, a pessoa que fez a pegadinha deveria estar rindo também. Para cada grande piada do Dia da Mentira, existem 10 piadas ruins. Mas nunca houve um único que tenha prejudicado a confiança que a mídia tem na palavra de uma empresa. Até agora.

Envie seu flagra! flagra@motor1.com