Entre a novidade subcompacta e o veterano espaçoso, qual a melhor compra?

Quando o Kwid foi lançado, muito se questionou sobre as vendas do Sandero. Com os dois modelos bem próximos em preço, a Renault cria uma situação de dúvida para os compradores que visitam as concessionárias. De um lado, o Kwid apela para o fator novidade e pelo jeitinho de SUV, com suspensão elevada, e baixo peso. Do outro, o Sandero usa sua fama de robustez, amplo espaço interno e boa relação custo/benefício.

Renault Sandero 1.0 SCe
Teste Renault Kwid Off-Road

 Compre um Sandero se...

  • Vai andar com a família - O Kwid tem espaço razoável se comparado com seus concorrentes diretos, Fiat Mobi e VW Up. Porém, fica devendo quando a comparação é o Sandero. São 2,59 m de entre-eixos contra 2,42 m no novato, uma diferença considerável principalmente no banco traseiro - é praticamente impossível andar com três ocupantes atrás no Kwid. O mesmo vale para a largura, 1,73 m contra 1,58 m, o que reduz (bastante) o espaço para os ombros. No porta-malas, são 320 litros de capacidade no veterano, contra 290 da novidade. 
Renault Sandero 1.0 SCe
  • Procura mais estabilidade ao dirigir - Além de mais largo, com pneus também maiores, o Sandero não abre mão da barra estabilizadora na dianteira. É mais "na mão" e estável que o Kwid, principalmente na estrada, em velocidades mais altas. Também possui freios melhores (os do Kwid exigem força no pedal) e viaja com menos barulho.
  • Deseja conforto - Afora o espaço interno bem superior, o Sandero possui bancos maiores e mais cômodos. A suspensão também é melhor: ele roda mais macio que o Kwid e repassa menos as imperfeições do piso para os ocupantes. E ainda é mais silencioso, seja na cidade e (principalmente) na estrada.  

 Compre um Kwid se...

  • Quer mais equipamentos - A versão Intense, topo do Kwid, vem com equipamentos como retrovisores elétricos, central multimídia e câmera de ré, além dos bancos parcialmente revestidos em couro e dos quatro airbags (somente os frontais no irmão maior). O Sandero de entrada traz apenas vidros dianteiros elétricos, direção eletro-hidráulica (elétrica no Kwid) e ar-condicionado. E custa R$ 43.900, contra R$ 40.490 da novidade, uma diferença que paga o IPVA e, dependendo do perfil do condutor, o seguro do carro.
Renault Kwid Intense
  • Deseja o fator novidade - Enquanto o Sandero é figurinha carimbada (e já pedindo mudanças) nas ruas, o Kwid é uma atração. Rodar com ele é certeza que muitos na rua o olharão com curiosidade, e alguns farão perguntas no semáforo. 
  • Procura um carro leve, ágil e econômico para o dia a dia - Além do baixo peso, o Kwid adota uma caixa de direção elétrica (que deixa o volante mais leve) e um novo câmbio, com engates mais suaves. Para o uso diário, agrada quem busca algo fácil e leve de conduzir, além de compacto para usar no trânsito. Esterça bastante, sendo muito prático para manobrar e estacionar. Por fim, seu peso pena garante números de consumo melhores: 10,2 contra 9,6 km/l na cidade, e 14,3 contra 11,7 km/l na estrada - sempre com etanol, de acordo com nossas medições.
  • Deseja melhor desempenho - O Sandero deixou de ser o lanterna da categoria ao trocar o motor 1.0 16V de 4 cilindros pelo novo 1.0 SCe de 3 cilindros e 12V. O Kwid já nasce com esse propulsor, embora numa versão simplificada: o cabeçote não tem variador de fase nos comandos de admissão e escape (para redução de custo). Com isso, ele gera 66/70 cv e 9,4/9,8 kgfm de torque, contra os 79/82 cv e 10,2/10,5 kgfm do Sandero. Em compensação, o Kwid é mais leve, o que leva a um melhor desempenho, principalmente na cidade. No nosso teste de aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, o novato marcou 13,9 s, contra 14,5 s do Sandero. 

Conclusão

O Renault Sandero ainda é forte em suas principais qualidades, como espaço interno e boa dirigibilidade. Mas perde para o Kwid quando o assunto é bolso, sendo mais caro e menos equipado, além da economia de combustível. Tanto que suas vendas foram atrapalhadas pelo irmão caçula, que vai melhor na cidade. Mas, ao contrário do Kwid, pode ser encontrado com desconto nas lojas. Então, vale a pesquisa! 

Ficha técnica

  Renault Kwid Intense 1.0 Renault Sandero Authentique 1.0
MOTOR

dianteiro, transversal, 3 cilindros, 12 válvulas, 999 cm3, comando duplo sem variador, flex

dianteiro, transversal, três cilindros, 12 válvulas, 999 cm³, duplo comando variável, flex

POTÊNCIA/TORQUE 66/70 cv a 5.500 rpm / 9,4/9,8 kgfm a 4.250 rpm 79/82 cv a 6.300 rpm / 10,2/10,5 kgfm a 3.500 rpm
TRANSMISSÃO manual de cinco marchas; tração dianteira manual de cinco marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO

independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira

independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS  aço com calotas, aro 14", pneus 165/70 R14 aço aro 15" com pneus 185/65 R15
FREIOS discos sólidos na dianteira e tambores na traseira, com ABS e EBD discos ventilados na dianteira e tambores na traseira com ABS e EBD
PESO 779 kg em ordem de marcha 1.011 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 3.680 mm, largura 1.579 mm, altura 1.474 mm, entre-eixos 2.423 mm comprimento 4.060 mm, largura 1.733 mm, altura 1.536 mm, entre-eixos 2.590 mm
CAPACIDADES tanque 38 litros; porta-malas 290 litros tanque 50 litros; porta-malas 320 litros
PREÇO

R$ 40.490

R$ 43.900
MEDIÇÕES MOTOR1 BR
    Renault Kwid Intense 1.0 Renault Sandero Authentique 1.0
Aceleração    
  0 a 60 km/h 5,5 s 5,8 s
  0 a 80 km/h 9,2 s 9,8 s
  0 a 100 km/h

13,9 s

14,5 s
Retomada    
  40 a 100 km/h em S 12,9 s 13,5 s
  80 a 120 km/h em S 15,5 s 14,2 s
Frenagem    
  100 km/h a 0

40,8 m

40,9 m
  80 km/h a 0 25,2 m 25,2 m
  60 km/h a 0 14,1 m 14,2 m
Consumo    
  Ciclo cidade 10,2 km/l  9,6 km/l 
  Ciclo estrada 14,3 km/l 11,7 km/l