Teste Instrumentado VW Passat Highline - Discreta eficiência

Foram tantos os lançamentos que a VW prometeu para este ano que o Passat pegou a gente de surpresa. Passat? Sim, a linha 2018 do sedã de luxo chegou com novidades na parte de multimídia. Pouco, mas o suficiente para colocá-lo na mídia novamente. Vendido em versão única, Highline, o Passat não é exatamente o primeiro carro que você pensa quando quer gastar cerca de R$ 160 mil em seu novo automóvel. Mas, para quem aprecia a combinação de conforto e desempenho sem chamar a atenção, ele é uma opção seríssima a ser considerada.    

O que é?

No corpo de um sedã familiar, o Passat guarda o mesmo conjunto de motor e câmbio do Golf GTI. Ou seja, são 220 cv e 35,7 kgfm de torque vindos do 2.0 TSI (EA888, diferente do EA211 do Jetta, de 211 cv), com dupla injeção de combustível, duplo comando variável e turbo, ligado ao câmbio DSG com caixa úmida de dupla embreagem e 6 marchas. Coloque isso na plataforma MQB (a mesma do Golf), com direito a suspensão independente nas quatro rodas, e tenha um conjunto azeitado para quem gosta de acelerar. 

VW Passat 2018

Na linha 2018, não há novidades visuais. O Passat continua com um estilo sóbrio, quase discreto, como a maioria dos Volkswagen. O destaque fica para a nova central multimídia "Discover Pro", com tela de 9,2" e comandos por gestos. Tem funções suficientes para passar horas explorando, incluindo uma tela para monitorar a pressão do turbo, temperatura de óleo, potência utilizada e uma outra tela para cronometrar tempos de volta. Cronômetro de volta em um...