Visual impõe respeito e mecânica 1.0 turbo automática mantém o conforto. Mas empolga?

Ao ter a missão de projetar o Chevrolet Onix RS, a ideia de fazer um Onix com motor 1.2 turbo do Tracker (133 cv e 21,4 kgfm), câmbio manual de 6 marchas e ajuste em suspensão e direção específico com certeza passou pelas mentes do desenvolvimento de produto da Chevrolet. Seria um ótimo concorrente para o Renault Sandero R.S. Mas nem sempre as coisas acontecem como queremos nessa vida... 

Pra começar, ele não se chamaria Onix RS. A sigla RS, no caso da Chevrolet, designa versões que tem visual esportivo sem alterações mecânicas - com isso, ele seria um SS, como o Camaro vendido por aqui. Significado de Rallye Sport, a sigla RS estreou justamente no Camaro em 1968, em sua primeira geração, e é a primeira vez que está em um modelo brasileiro. Sim, tivemos os Chevrolet Meriva, Astra e Corsa SS, mas nem mesmo a marca sabe o que aconteceu para eles saírem assim, diferentes da "regra" global.

Agora que explicamos um pouco sobre a sigla, vamos ao Chevrolet Onix RS 2021. Posicionado entre as versões LTZ e Premier, o RS se diferencia por um conjunto de para-choques exclusivos, grade dianteira em colmeia e rodas aro 16" em preto brilhante, assim como a capa dos retrovisores e o teto, saia lateral e um nada discreto aerofólio na tampa traseira. Por dentro, colunas e teto têm revestimento na cor preta e o volante de base reta recebe costura vermelha, assim como os bancos com tecidos exclusivos. Para completar, o painel de instrumentos também recebe grafismo com detalhes em vermelho. 

Chevrolet Onix RS 2021 (teste)

Como a própria sigla já denuncia, não há qualquer alteração na mecânica. Esperado ao menos com um câmbio manual de 6 marchas, o Onix RS atendeu a "pedidos dos consumidores" e usa o motor 1.0 turbo de três cilindros, com até 116 cv e 16,8 kgfm de torque, ligado ao câmbio automático de 6 marchas, o mesmo conjunto que está no restante da linha. Suspensão, direção e freios seguem também o mesmo padrão já conhecido.

Não sou esportivo, mas longe de ser entendiante

Já vimos algumas vezes em nosso mercado versões com visual esportivo e motorizações bem abaixo do esperado. Não que o Onix RS seja um legítimo hot hatch ou um canhão sobre rodas, mas não podemos o julgar antes de experimentar. Afinal, ele traz um motor 1.0 turbo de 116 cv e 16,8 kgfm de torque para um peso de apenas 1.113 kg. Um câmbio manual seria mais legal para seguir com a proposta? Com certeza, mas sabemos que o mercado prefere o automático em sua maioria.

Chevrolet Onix RS 2021 (teste)
Chevrolet Onix RS 2021 (teste)
Chevrolet Onix RS 2021 (teste)

Ou seja, temos um hatch que acelera de 0 a 100 km/h em aceitáveis 10,9 segundos - como "referência", o Sandero RS fez a mesma prova em 9,1 segundos com seus 150 cv do motor 2.0 aspirado. A vantagem é que temos um consumo de carro "normal", de 8,2 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada, sempre com etanol, diferente do Renault esportivo, que fica longe de tais médias.

Porém, o Onix RS merecia algo a mais. Não pelo motor, mas ao menos um conjunto de suspensão e direção que conversasse melhor com o visual. Apesar do hatch já ter um ajuste mais firme que o Onix Plus, o Onix RS merecia um conjunto um pouco mais firme e uma direção elétrica mais comunicativa e menos leve - nesse ponto, a geração anterior do Onix era superior. Ele contorna bem as curvas mais rápidas, mas vemos que parte disso cabe aos pneus 195/55 R16. Talvez algo próximo do VW Polo GTS deixasse a gente mais empolgado. 

Mas essa "roupinha muito louca" (como diria Chaves) tem um preço. Sua lista de equipamentos é semelhante ao Onix LTZ AT, inclusive perdendo itens na linha 2021 como o 4G a bordo e o OnStar, além da ausência do carregador por indução e do botão de partida. Mantém os seis airbags, controles de tração e estabilidade e recebe o MyLink com tela de 8" e espelhamento de smartphones com fio. Os faróis com projetores remetem ao Premier, mas com máscara negra e acabamento exclusivo, além de tudo que já citamos anteriormente.

Chevrolet Onix RS 2021 (teste)

Tabelado a R$ 75.590, o Onix RS 2021 é R$ 1.000 mais caro que o LTZ e R$ 3.100 mais barato que o Premier 1. Como rivais, o Hyundai HB20 Sport custa R$ 72.590, o Fiat Argo HGT custa R$ 74.990 (atinge R$ 81.840 com os opcionais) e o Renault Sandero GT-Line está tabelado em R$ 77.790 - como curiosidade, o Sandero R.S. custa R$ 79.190. 

Ou seja, não espere que o Onix RS 2021 seja um esportivo. É um Onix LTZ que vestiu uma roupa mais descolada, mas quis manter o conforto do câmbio automático e a eficiência do 1.0 turbo. Seria um pouco mais legal com o câmbio manual de 6 marchas? Com certeza, mas é o comprador de massa que dita as regras. Se existem os "SUVs de shopping", podemos dizer sem deméritos que o Onix RS é um "esportivo de shopping".

Fotos: Leo Fortunatti e divulgação

Ficha técnica: Chevrolet Onix RS 2021

MOTOR dianteiro, transversal, três cilindros, 12 válvulas, 999 cm3, comando duplo variável, turbo, flex
POTÊNCIA/TORQUE 116 cv a 5.500 rpm; 16,3/16,8 kgfm a 2.000 rpm
TRANSMISSÃO câmbio automático de 6 marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson na dianteira, eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS  liga leve aro 16" com pneus 195/55 R16
FREIOS discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS e ESP
PESO 1.113 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.163 mm, largura 1.731 mm, altura 1.476 mm, entre-eixos 2.551 mm
CAPACIDADES tanque 41 litros; porta-malas 275 litros
PREÇO R$ 75.590
MEDIÇÕES MOTOR1 BR (etanol)
    Chevrolet Onix 1.0T AT6
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 5,1 s
  0 a 80 km/h 7,8 s
  0 a 100 km/h 10,9 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em D 7,4 s
  80 a 120 km/h em D 7,0 s
  Frenagem   
  100 km/h a 0 36,2 m
  80 km/h a 0 22,6 m
  60 km/h a 0 12,9 m
  Consumo  
  Ciclo cidade 8,2 km/litro 
  Ciclo estrada 12,3 km/litro

Galeria: Chevrolet Onix RS 2021 (teste)