Ele coloca a marca bávara na briga dos SUVs de 7 lugares e chega ao Brasil ainda neste ano

A BMW continua investindo pesado em sua linha de SUVs. Após o pioneiro X5, a marca bávara explorou o segmento mais abaixo com o X3 e, mais tarde, o X1. Depois foi a vez dos esportivos X6 e X4. Agora chegou a hora de olhar para o topo e desenvolver um SUV a partir de seu sedã mais caro, o Série 7. Assim nasceu o X7, um verdadeiro transatlântico de luxo sobre rodas, com 5,15 metros de comprimento e a possibilidade de configurar a cabine com 7 assentos (de série) ou 6 de forma opcional (na configuração 2+2+2). 

Considerado um dos mostruários de tecnologia da BMW na atualidade, o X7 foi pensado inicialmente para os mercados norte-americano e chinês. Daí suas grandes dimensões e a adoção de mais uma fileira de assentos, uma característica até então inexistente na família X da marca alemã. 

Outros dados que dão ideia das proporções do gigante alemão são seus 2 metros de largura, sem contar os retrovisores, além dos 3,10 m de distância entre-eixos. 

Apesar de seu tamanho, o X7 recorre a detalhes estéticos que o deixam facilmente reconhecível como um BMW. Por exemplo, a grade duplo rim, que neste caso ficou ainda mais destacada e abriga um sistema de aerodinâmica ativo. O desenho dos faróis principais, full-LED, é muito mais rebuscado do que nas últimas criações da fabricante e, como opcional, o SUV pode receber os sofisticados faróis BMW LaserLight. 

A vista lateral do X7 também transparece seu porte magnífico. A altura é de 1,80 metro e as rodas de série são de aro 20", podendo ser de 22" como opcional. 

BMW X7 2019 primera prueba

Passando à traseira, as colunas adotam um desenho estilizado, que reforçam a largura do bicho. Como detalhes de comodidade, encontramos a abertura elétrica da tampa do porta-malas e a inclusão de uma "bola" de reboque retrátil eletricamente. As regulagens das segunda e terceira fileira de assentos são feitas também eletricamente, por meio de botões posicionados na lateral do porta-malas. E o espaço é bom mesmo para a "turma do fundão".

O espaço para carga, por sua vez, oscila entre 326 litros com os sete lugares montados até os 750 litros na configuração com quatro ou cinco assentos (pode chegar a um total de 2.120 litros com a segunda e terceira filas rebatidas).

BMW X7 2019 primera prueba

No plano mecânico, as versões oferecidas no lançamento são uma a gasolina (xDrive40i de 340 cv) e duas a diesel (xDrive30d de 265 cv e M50d de 400 cv). Em todos os casos, os motores têm arquitetura de seis cilindros em linha e trabalham junto a um câmbio automático de 8 marchas e ao sistema de tração integral xDrive. 

Como opcional, pode se pedir o pacote "Off-road" para o sistema de tração, que inclui os modos X Gravel, X Sand, X Rock e X Snow, para uso na terra, areia, pedra e neve, respectivamente. O único que não pode receber este item é o X7 M50d, pois o recuso não é compatível com o diferencial esportivo M que equipa este modelo mais potente da gama. 

A suspensão pneumática adaptativa é item de série e combina muito bem com um veículo destas dimensões e peso. 

BMW X7 2019 primera prueba

No capítulo dinâmico, a primeira coisa que chama a atenção é a facilidade com que ganhamos velocidade. Variando entre os modos de condução no sistema Driving Experience Control, o SUV alemão de fato transmite reações diferentes. Obviamente, as inércias se notam desde a primeira freada e, a medida em que aumentamos a velocidade, devemos aumentar também essa distância prudencial antes de encarar uma curva. Nos modos mais conservadores, o X7 revela uma comodidade e capacidade de absorção incríveis. 

BMW X7 2019 primera prueba

No entanto, quando necessitamos aumentar o ritmo, se faz imprescindível ativar os modos Sport ou Sport Individual. Assim, comprovamos como a direção enrijece sua assistência, a transmissão troca de marcha mais rápido e a suspensão perde aquela comodidade, em favor de uma maior rigidez para menor balanço da carroceria. 

Neste caso, o X7 volta a surpreender, mostrando agilidade incomum para um SUV de mais cinco metros de comprimento e que supera os 2.300 kg. Manter uma tocada mais alegre, no entanto, é uma tarefa que requer concentração - mais pelo tamanho da carruagem do que propriamente pelas reações do motor seis cilindros de 340 cv.  

BMW X7 2019 primera prueba

O som do motor se deixa notar na cabine quando pisamos no acelerador com decisão. E o X7 até que negocia bem com as curvas. Claro que uma estrada de serra não é o cenário ideal para desfrutar de um SUV deste tamanho, mas ele também não deixa a desejar. 

A suspensão com molas a ar faz seu trabalho de forma impecável, e então entendemos a verdadeira dimensão de um SUV premium, tanto pela qualidade de rodagem quanto pelo conforto que é capaz de oferecer aos ocupantes. 

BMW X7 2019 primera prueba

Também devemos aproveitar as inúmeras ajudas eletrônicas de condução disponíveis. O X7 conta com um sistema de condução semi-autônomo de nível 2, que inclui controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, com função Stop&Go, e o Driving Assistant Professional.

Este último recurso engloba o assistente de saída involuntária de faixa, que move o volante de volta à pista, bem como o sistema de manutenção de faixa, que mantém o carro no rumo - bastando que o motorista mantenha as mãos apoiadas no volante. 

Outros mimos são a chave inteligente BMW Digital Key, que permite ligar o veículo à distância, e o assistente de estacionamento Parking Assistant Plus, capaz de estacionar o X7 de forma automática e ainda memorizar a distância percorrida (últimos 30 metros) para ajudar na hora de sair da vaga. Com um SUV destas dimensões, qualquer ajuda desse tipo é bem-vinda.

BMW X7 2019 primera prueba

Por último, como em todo BMW que se preze, as possibilidades de personalização são diversas. Para além do acabamento de série, podemos adicionar os pacotes Pure Excellence, focado em elegância e conforto, ou o M Sport, para enfatizar a esportividade. 

Em todos os casos, a lista de itens de série é bastante ampla, contemplando forração de couro, ar-condicionado de duas zonas (pode ter até cinco zonas com uma específica para a terceira fila), câmera traseira e rodas aro 20", além do assistente pessoal inteligente, como no novo Série 3.  

Para ter uma nave dessas, porém, é preciso ser rico mesmo na Europa, onde o X7 parte de 98.950 euros (R$ 435 mil) na versão XDrive30d, 99.950 euros (R$ 440 mil) na xDrive40i e chega a 124.000 euros na M50d (R$ 545 mil). Para o Brasil, onde o SUV será vendido a partir do segundo semestre, a expectativa é que venha somente na M50d e, considerando que o X5 desta versão custa R$ 539.950 por aqui, não deverá sair por menos de R$ 600 mil. 

Fotos: divulgação

BMW X7 xDrive40i

Motor Gasolina, 6 cilindros em linha, turbo, 2.998 cm3
Potência 340 CV entre 5.500 e 6.500 rpm / 45,9 kgfm entre 1.500 e 5.200 rpm
Transmissão Automática de 8 marchas, tração integral
0 a 100 km/h 6,1 s
Velocidade Máxima 245 km/h
Consumo de combustível 11,5 km/l
Peso 2.320 kg
Número de assentos 7
Volume do porta-malas 326 l
Preço de entrada R$ 600.000 (estimado Brasil)