A Fiat quer mudar o que você pensa sobre a marca com o sedã do Argo. Conseguirá?

Atenções voltadas para o Cronos. Segundo a Fiat, o sedã fecha o primeiro ciclo de renovação de sua linha no Brasil, que começou com a Toro, continuou com o Mobi, Argo e está sendo finalizado agora. Ou seja, com o tempo, a marca quer mudar a forma como os consumidores enxergam seus carros e os desejam. Se ela já foi referência por populares simples e robustos, a meta agora é fisgar emocionalmente os consumidores. 

Fiat Cronos

Fomos até Córdoba, cidade localizada a cerca de 700 km de Buenos Aires, pra conhecer em primeira mão o Cronos. A escolha não foi aleatória. É lá que fica a fábrica da Fiat que produz o Cronos e o exportará ao Brasil, enquanto nós continuamos enviando produtos como Mobi e Argo (de Betim, MG) e Toro (de Goiana, PE), apenas para citar os mais recentes lançamentos. 

O que é?

Há quem o chame simplesmente de Argo Sedan. Mas, apesar de usar muito do hatchback, o Cronos tem uma certa independência, assim como o Grand Siena tinha do Palio. Claudio Demaria, diretor de engenharia da FCA Latam, foi pessoalmente explicar o que mudou e o que não mudou do Argo para o Cronos. Aos que gostam de números, 70% do sedã é novo, mesmo que em muitos lugares isso não seja visível. 

Fiat Cronos
Fiat Cronos

A plataforma é a mesma, chamada pela FCA de MP-S. Como é de esperar em um sedã, o Cronos tem cerca de 36 cm a mais no comprimento (4.364 mm) pela presença do terceiro volume para o porta-malas de 525 litros, mas apenas isso o diferencia (em medidas) do Argo. Ambos têm a mesma largura (1.726 mm), altura (1.516 mm) e entre-eixos (2.521 mm) - vale lembrar que o rival VW Virtus tem entreeixos alongado em relação ao Polo -, mas Demaria explicou que há mais que isso sob a carroceria. 

Toda a estrutura, da parede corta-fogo até o final do porta-malas, é exclusiva do Cronos. Ela é mais rígida que a do Argo pela adição do balanço traseiro, o que criaria maior torção se tivesse mantido tudo do hatch, além da mudança de distribuição de peso. Aqui já começa a preocupação da Fiat com a dinâmica do sedã, algo que testei em local fechado, e já comento sobre. Na carroceria em si, o Argo "doa" apenas os para-lamas dianteiros, portas dianteiras com retrovisores e maçanetas e faróis. De resto, é tudo do Cronos. 

Fiat Cronos

A suspensão, apesar de usar a mesma arquitetura (independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira), foi totalmente recalibrada: amortecedores, molas, barra estabilizadora dianteira e até o eixo traseiro foram projetados para o Cronos. Não que o sedã seja muito mais pesado - cerca de 10 kg -, mas o comportamento de um três-volumes é diferente de um hatch pela adição do balanço traseiro e usar as mesmas peças em ambos, apesar de gerar economia de escala, não funciona muito bem. A bitola é pouca coisa mais larga, com 1.467 mm na dianteira (2 mm a mais) e 1.504 mm na traseira (4 mm a mais). 

Apesar de produzido na Argentina, o Cronos dividirá os mesmos conjuntos mecânicos com o Argo - a não ser pela ausência do 1.0. Ou seja, estamos falando do 1.3 Firefly de 101/109 cv e 13,7/14,2 kgfm com câmbio manual ou automatizado GSR de 5 marchas (fabricado em Betim, MG) e o 1.8 E-torQ de 135/139 cv e 18,8/19,3 kgfm com câmbio manual de 5 marchas ou automático de 6 marchas, vindo de Campo Largo (PR). O mesmo vale para a arquitetura eletrônica, vinda da Toro, Argo, Jeep Renegade e Compass. É um Argo Sedan? Sim e não. 

Fiat Cronos

Essa independência é refletida, em maior parte, pelo design. Além da porção traseira com suas lanternas afiladas em LED, a dianteira tem para-choque exclusivo e capô que avança mais para a frente, resultando em uma grade menor e um perfil que parece mais esportivo que do Argo. Este estilo cairia bem ao hatch. 

Como anda?

Em uma pista fechada, a Fiat organizou um teste para mostrar o resultado de todo o trabalho de dinâmica que foi feito no Cronos. No mesmo lugar, colocaram concorrentes (Hyundai HB20S, Toyota Etios Sedã e Chevrolet Prisma, mas este último sem as mudanças de suspensão feitas na última reestilização) para podermos ter um parâmetro de comparação. Não havia o VW Virtus, já que na época ele ainda não tinha sido lançado - e a Fiat diz que ele não será um concorrente direto de seu sedã -, mas este comparativo faremos em breve.

Fiat Cronos

De fato, o Cronos se mostrou bem equilibrado em um teste de desvio de trajetória rápido. A traseira se mantém na mão, mesmo quando o controle de estabilidade está desligado, diferente dos concorrentes que lá estavam. Para este teste (e todos os demais), utilizei a versão Precision com o motor 1.8 e câmbio automático, abastecido com gasolina. Como no Argo, o câmbio insiste em manter uma marcha alta, privilegiando consumo e priorizando sempre uma faixa baixa de rotações, algo que não ajuda o E-torQ, um motor que gosta de giros para andar bem. Em termos de consumo, veja a tabela abaixo, com dados do Inmetro:

VERSÃO GASOLINA CIDADE GASOLINA ESTRADA ETANOL CIDADE ETANOL ESTRADA
Fiat Cronos Drive 1.3 MT 12,4 km/l 14,8 km/l  8,5 km/l 10,3 km/l
Fiat Cronos Drive 1.3 GSR 12,7 km/l  14,8 km/l  8,8 km/l  10,4 km/l 
Fiat Cronos Precision 1.8 MT 11,6 km/l  13,8 km/l  8,0 km/l  9,6 km/l 
Fiat Cronos Precision 1.8 AT 10,3 km/l  13,3 km/l  7,2 km/l  9,6 km/l 

Já na estrada aberta, o Cronos lembrou o...Argo. A direção elétrica tem calibração para uma boa comunicação em velocidades de cruzeiro (100, 120 km/h), assim como a suspensão não balança nem quando há passageiros no banco traseiro, algo que acontece, por exemplo, no Hyundai HB20S. O E-torQ sente o peso do carro e o câmbio, com sua programação para consumo, pede reduções nas borboletas para uma ultrapassagem ou retomada. A posição de dirigir é alta, o que agrada ao público em geral, mas não faz meu estilo.  

Fiat Cronos Precision AT6

Em espaço interno, é exatamente como o Argo, tanto na frente quanto atrás. Seu grande trunfo é a largura para os ombros no banco traseiro (peça exclusiva do Cronos), mesmo que o espaço para as pernas não seja o maior da categoria. Seu entre-eixos foi mantido, como já dito, o mesmo do Argo. No porta-malas cabem 525 litros, mais que os 521 litros do VW Virtus, porém com área de abertura menor, o que dificulta para carregar objetos maiores. 

Quanto custa?

O Fiat Cronos será vendido em quatro versões. Veja os principais equipamentos de cada uma delas:

  • Fiat Cronos Drive 1.3 manual: central multimídia com tela de 7" e espelhamento de smartphones (Apple CarPlay e Android Auto), volante com comandos do som, porta USB para a fileira traseira, sistema Isofix, ar-condicionado, direção elétrica com coluna regulável em altura, vidros dianteiros elétricos, trava elétrica, chave canivete, painel de instrumentos com tela de 3,5" para o computador de bordo, banco do motorista com regulagem de altura, rodas de 15" com calotas e monitoramento da pressão de pneus;
  • Fiat Cronos Drive 1.3 GSR: itens do Drive 1.3 manual mais câmbio automatizado, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, start-stop, piloto automático, luzes ambiente, apoio de braço para o motorista, vidros traseiros elétricos, retrovisores elétricos com repetidores de seta;
  • Fiat Cronos Precision 1.8 manual: itens do Drive 1.3 manual mais motor 1.8, rodas de 16", faróis com luz de posição em LED, sensor de estacionamento traseiro, volante com regulagem de profundidade, faróis de neblina, vidros traseiros elétricos, retrovisores elétricos, banco traseiro bipartido, controles de tração e estabilidade e assistente de partida em rampas;
  • Fiat Cronos Precision 1.8 AT6: itens do Precision MT mais borboletas para troca de marchas, maçanetas e frisos cromados, piloto automático, luzes de ambiente, apoio de braço para o motorista e volante em couro. 

Diferente do Argo, o sistema start-stop não é mais um item de série no 1.3 manual. Segundo a marca, os clientes preferem ter o sistema como um opcional, por não agradar a todos. Fica devendo também o controle de estabilidade na versão 1.3 manual, nem como opcional. Falando em opcionais, veja a lista:

  • Kit Stile (1.3 M/T e GSR): rodas de 15" de liga, faróis de neblina, banco traseiro bipartido;
  • Kit Parking (1.3 MT e GSR): Câmera de ré e sensor de estacionamento traseiro;
  • Kit Convenience (1.3 M/T): Retrovisor e vidro traseiro elétricos;
  • Alarme (1.3 M/T e GSR)
  • Kit Stile (1.8 M/T e A/T): Rodas de 17" e bancos em couro;
  • Kit Tech (1.8 M/T e A/T): ar condicionado automático, painel de instrumentos em TFT de 7", sistema de abertura de portas e partida com chave presencial, sensor de chuva e luz, retrovisor interno fotocrômico;
  • Airbags laterais (1.8 M/T e A/T)
  • Câmera de ré (1.8 M/T e A/T)

Até o momento, a Fiat não divulgou a tabela de preços oficial do Cronos. Porém, fontes indicam que ele será cerca de R$ 4 mil mais caro que a versão equivalente do Argo. Logo, os preços (estimados) são esses:

VERSÃO PREÇO (estimado)
Fiat Cronos Drive 1.3 MT R$ 58.990
Fiat Cronos Drive 1.3 GSR R$ 63.990
Fiat Cronos Precision 1.8 MT R$ 66.290
Fiat Cronos Precision 1.8 AT R$ 72.290
Fiat Cronos

Se em qualidade de construção e visual o Cronos é realmente uma evolução ao que já vimos em sedãs compactos da Fiat, a concorrência vem "pesada", como mostrou o VW Virtus. Cada um tem seus pontos positivos, mas, se os preços do Fiat forem confirmados, a briga será boa. Mas isso é um papo para um comparativo futuro...   

Fotos: Fiat para Motor1.com

Fiat Cronos Prestige 1.8 AT 2018

MOTOR dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.747 cm3, comando simples variável, flex
POTÊNCIA/TORQUE

135/139 cv a 5.750 rpm / 18,8/19,3 kgfm a 3.750 rpm

TRANSMISSÃO automática de 6 marchas; tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS liga leve de aro 17" com pneus 205/45 R17
FREIOS discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EBD
PESO 1.271 kg
DIMENSÕES comprimento 4.364 mm, largura 1.726 mm, altura 1.516 mm, entre-eixos 2.521 mm
CAPACIDADES tanque 48 litros, porta-malas 525 litros
PREÇO  R$ 72.000 (estimado)