Assim como em outubro, a Volvo foi o grande destaque nas vendas de importados em novembro. De acordo com a Abeifaentidade que representa 15 empresas no país, marca sueca emplacou 1.033 unidades – um crescimento de 37% sobre 2019 – e respondeu por mais de 40% de todos os registros no mês passado. 

Foram 2.524 unidades comercializadas ao todo – considerando apenas modelos de produção importada -, uma queda de 8,75% nos últimos 12 meses e de 4,2% na comparação com as 2.634 unidades de outubro. O acumulado, de 24.999 unidades, recuou ainda mais (-19,92%).

Tal desempenho fez com que a Abeifa reivindicasse a redução do Imposto de Importação dos atuais 35% para 20%. Esta medida faria com que o sistema tributário brasileiro se alinhasse à Tarifa Externa Comum do Mercosul e, com o dólar a mais de R$ 5, daria alívio e sobrevivência ao setor, com a continuidade da operação da rede de concessionárias, diz a entidade.  

Em oficio enviado à Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, do Ministério da Economia, a Abeifa demonstra que 72% dos veículos importados são provenientes do Mercosul e do México, que não pagam Imposto de Importação. Os automóveis importados de outros países representam então apenas 3% das vendas internas, no entanto, geram 17,5 mil postos de trabalho e arrecadações tributárias anuais da ordem de R$ 1,2 bilhão.

Só a Volvo comemora

Além da Volvo, líder pelo 7º mês consecutivo, apenas a Mini (153) e a Suzuki (144) apresentaram números positivos no mês passado. Land Rover (86), JAC (62) e Jaguar (44), por exemplo, perderam pelo menos 59% dos seus compradores do ano passado. A Porsche (186), que vinha sendo destaque positivo nos últimos meses, desta vez recuou quase 15%. 

Suzuki Vitara 2019

Na disputa por modelos, dupla liderança para a Volvo com o XC40 (421) à frente do XC60 (337), além do sedã S60 (126) e do XC90 (126) empatados na 5ª posição. Preferido entre julho e setembro, o Kia Bongo (172) perdeu o terceiro lugar para o Kia Cerato (219), com crescimento de quase 130%. Ainda falando na Kia, destaque negativo para o Sportage (119), que perdeu quase 62% de seus emplacamentos. 

MODELOS (PRODUÇÃO IMPORTADA) 

POS. 

MODELO 

NOV. 20 

NOV. 19 

% 

 

VOLVO XC40 

421 

215 

95,81% 

 

VOLVO XC60 

337 

277 

21,66% 

 

KIA CERATO 

219 

96 

128,13% 

 

KIA BONGO 

172 

176 

-2,27% 

 

VOLVO S60 

126 

114 

10,53% 

 

VOLVO XC90 

126 

85 

48,24% 

 

KIA SPORTAGE 

119 

311 

-61,74% 

 

SUZUKI VITARA 

70 

95 

-26,32% 

 

BMW X5 

59 

8 

637,50% 

10º 

PORSCHE 911 

58 

19 

205,26% 

MARCAS (PRODUÇÃO IMPORTADA) 

POS. 

MARCA 

NOV. 20 

NOV. 19 

% 

 

VOLVO 

1.033 

754 

37,00% 

 

KIA 

587 

661 

-11,20% 

 

BMW 

223 

330 

-32,42% 

 

PORSCHE 

186 

218 

-14,68% 

 

MINI 

153 

142 

7,75% 

 

SUZUKI 

144 

127 

13,39% 

 

LAND ROVER 

86 

242 

-64,46% 

 

JAC 

62 

152 

-59,21% 

 

JAGUAR 

44 

134 

-67,16% 

10º 

MASERATI 

2 

2 

0,00% 

MARCAS (PRODUÇÃO NACIONAL) 

POS. 

MARCA 

NOV. 20 

NOV. 19 

% 

 

CAOA CHERY 

2.254 

1.902 

18,51% 

 

BMW 

979 

847 

15,58% 

 

LAND ROVER 

156 

176 

-11,36% 

 

SUZUKI 

83 

223 

-62,78% 

Fonte: Abeifa 

Envie seu flagra! flagra@motor1.com