Novo padrão já foi adotado em outros países do bloco, como Uruguai e Argentina

Depois de aplicado em estados como Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia, o novo padrão Mercosul para placas de veículos finalmente será obrigatório em todo o território nacional. A determinação passará a valer a partir de 31 de janeiro e entra em vigor após seis adiamentos seguidos. Além da alteração nas cores, a nova identificação substitui o segundo número da sequência da placa atual por uma letra. No entanto, deixam de aparecer o nome do município e o estado de licenciamento do veículo. Também foram deixados de lado alguns componentes de segurança previstos inicialmente, como ondas sinusoidais e inscrições com efeito difrativo.

Galeria: Placa padrão Mercosul

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento e caso haja necessidade de reposição da placa antiga, por mudança de município ou unidade federativa; por roubo, furto, dano ou extravio da placa; ou quando houver necessidade de instalação da segunda placa traseira. Nos outros casos, a identificação atual poderá ser utilizada até 31 de dezembro de 2023. Como dito, o novo formato tem quatro letras e três números, fundo branco e letras com cores que variam conforme a aplicação. O preto, por exemplo, será usado para veículos de passeio, o vermelho para veículos comerciais, o azul para carros oficiais, o verde para veículos em teste, o dourado para os automóveis diplomáticos e, por fim, o prateado para os veículos de colecionadores.

Nova Placa Mercosul - Motos
Placa padrão Mercosul

Placas antigas serão convertidas ao novo padrão trocando o segundo número por uma letra. Dessa forma, carros com número 0 trocarão para A, 1 para B, 2 para C, 3 para D, 4 para E, 5 para F, 6 para G, 7 para H, 8 para I e 9 para J. Por exemplo, um carro cuja placa atual seja AAA 0004 passará a ser identificado por AAA 0A04, enquanto um GGG 5555 muda para GGG 5F55.

Para diminuir os casos de clonagem e reforçar a segurança, as placas serão equipadas com um código de barras semelhante a um QR Code, contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador da placa. No entanto, itens previstos inicialmente (como ondas sinusoidais e inscrições com efeito difrativo) foram dispensados para baratear o preço final.