Entramos no laboratório de segurança veicular da fábrica do ABC paulista e acompanhamos até um teste de impacto ao vivo

Vamos ser realistas. Poucos se preocupavam com o nível de segurança de seus veículos até alguns anos atrás. Ainda que com algum atraso, o mercado brasileiro começa a entender a importância de siglas como o ABS, ESP e a quantidade de estrelas obtidas em um crash test. Isso vem mudando aos poucos, inclusive dentro das fabricantes, mesmo que em muitos casos obrigadas pela legislação. 

A Volkswagen se orgulha das cinco estrelas conquistadas no Latin NCAP pelos modelos Polo, Virtus e T-Cross, que já atendem às mais recentes exigências do orgão. Dentro da planta de São Bernardo do Campo (SP), há desde 1971 um laboratório de segurança veicular, modernizado com o passar dos anos e hoje com estrutura completa, para fazer desde simulações virtuais até testes de impacto definitivos - como vimos ao vivo com um T-Cross. 

Laboratório segurança VW

Em uma ação até então inédita, a marca alemã abriu este laboratório para a imprensa. Não sem antes uma palestra sobre estrutura, itens de segurança (ativa e passiva) e alguns "segredos" com Antônio Carnielli Jr., Gerente Executivo de carroceria e segurança. Segundo ele, o Brasil caminha para uma efetiva evolução em segurança principalmente pelas novas exigências do Latin NCAP a partir de 2020, e também pelo regime Rota 2030. 

Laboratório de segurança VW
Laboratório de segurança VW

Antes de o carro físico passar pelo primeiro teste, cerca de 25 mil horas de simulações acontecem. Alinhados com as equipes de design e desenvolvimento, dados são inseridos em computadores de alta capacidade para gerar um modelo virtual que, segundo Carnielli, têm entre 90 e 95% de veracidade com o carro real quando comparados os resultados e filmagens. Até mesmo para onde o combustível do tanque vai no momento da batida é possível prever virtualmente, evitando assim vazamentos e incêndios. As simulações também atendem setores de aerodinâmica, iluminação e diversos outros, não apenas segurança. 

VW Laboratório de segurança
VW Laboratório de segurança
Laboratório de segurança VW

Existe também a preocupação com os pedestres (segundo a VW, uma das próximas exigências do Latin NCAP). A análise de materiais e posicionamento de peças da dianteira do veículo e até mesmo de partes do cofre do motor existe para machucar o mínimo possível o pedestre atingido em um atropelamento. Peças com sensores e formatos diferentes simulam pernas (inclusive ligamentos) e cabeça e, sem dó, são arremessadas contra o carro virtualmente e fisicamente. 

VW Laboratório de segurança
VW Laboratório de segurança

Feitos para não machucar os ocupantes, airbags e cintos de segurança também passam por testes e ajustes para não ter o efeito contrário. Mas para não "estragar" um carro completo toda vez que for testar estes componentes, uma carroceria reforçada é arremessada por um "canhão" de ar, simulando a desaceleração em caso de impacto. Os itens também são testados em um laboratório com cabines aquecidas e refrigeradas para atestar o correto funcionamento em qualquer ambiente. 

VW Laboratório de segurança

Depois de todas estas etapas, hora de colocar tudo em prática. Os famosos Dummies (aqueles bonecos que simulam os passageiros) também evoluíram com o tempo. Eles existem de diversos tamanhos e pesos, atendendo especificações físicas da população, e estão lotados de sensores e acelerômetros para simular lesões e observar, seguindo normas médicas, até onde o corpo humano está protegido em um impacto. 

Laboratório segurança VW
Laboratório segurança VW
Laboratório segurança VW
Laboratório segurança VW
Laboratório segurança VW
Laboratório de segurança VW

O melhor ficou para o fim. A marca mostrou um crash test com o T-Cross ao vivo, no padrão offset 40, que atinge 40% da dianteira contra uma barreira fixa deformável a 64 km/h. A legislação exige testes de impacto frontal total a 56 km/h em barreira deformável e em fixa a 50 km/h e traseiro deformável a 32 km/h. O protocolo do Latin NCAP atual faz o impacto frontal deformável a 64 km/h, lateral a 50 km/h e poste a 29 km/h. 

 

O vídeo você vê acima e, apesar da força, barulho e partes voando por todo lado, os Dummies passam bem e as portas abrem e fecham sem qualquer dificuldade, facilitando o resgate dos ocupantes. Toda a simulação e estudos resultaram em um dos carros cinco estrelas do país, inclusive com sistemas como frenagem pós-colisão, seis airbags e controles de tração e estabilidade. E assim nasce, cerca de dois a três anos antes de ser lançado, um carro 5 estrelas em segurança. 

Fotos: divulgação e Motor1.com

Galeria: Laboratório de segurança VW