Associação espera queda de 6,8% nas exportações por conta da crise na Argentina

A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) divulgou hoje os números oficiais de 2018. O mercado cresceu 14,6% em vendas, enquanto a produção teve alta de 6,7%, segundo Antônio Megale, presidente da associação. No total, foram feitos 2.746.654 carros e comerciais leves, antes os 2.595.480 de 2017. Somando caminhões e ônibus, a produção total em 2018 foi de 2.880.724 unidades. Para a Anfavea, o mercado irá crescer 11,3% em 2019.

"Não crescemos mais porque a exportação atrapalhou. Se a meta de exportação fosse cumprida, teríamos alcançado número de produção acima dos 3 milhões, como previsto", explica Megale. A crise financeira que afeta a Argentina fez com que as exportações registrassem uma queda de 17,9%, com 629.175 veículos, contra os 766.013 de 2017, resultado que é o recorde da indústria. Mesmo com esta redução, o Brasil exportou 22% dos veículos produzidos ao longo de 2018.

A projeção da Anfavea para 2019 é que o mercado de veículos leves cresça 11,3%, com 2.755.000 unidades. A produção deve subir para 2.990.000 unidades, um crescimento de 8,9%. A incerteza é o resultado das exportações. "Nosso principal parceiro, a Argentina, ainda deve apresentar problemas, seu mercado está caindo, fechou o ano abaixo de 800 mil unidades e a previsão era acima de 1 milhão", afirma Megale. Com a situação no país vizinho, a estimativa é que as exportações sofram queda de 6,8%, registrando 555 mil unidades de automóveis e comerciais leves. Porém, esta quantidade pode mudar rapidamente caso a crise argentina se agrave.

Fotos: Divulgação 

Galeria: Fábrica Caoa Chery e Hyundai