Executivo foi detido sob acusações de fraude, falso testemunho e ocultação de provas

CEO da Audi e considerado um dos principais executivos do grupo Volkswagen, Rupert Stadler foi preso na manhã desta segunda-feira na Alemanha no âmbito do famigerado Dieselgate. De acordo com a imprensa local, a prisão aconteceu sob acusações de fraude, falso testemunho e ocultação de provas - todas relacionadas ao escândalo de adulteração de motores a diesel. "A ordem de prisão é baseada principalmente na ocultação de provas”, afirma um comunicado divulgado pela Promotoria de Munique.

Mais sobre a Audi:

 

Em nota, a Audi confirmou a detenção, mas não revelou detalhes adicionais - recordou apenas a presunção de inocência. A prisão era considerada iminente, levando em conta o desenrolar das investigações. No fim de maio, por exemplo, foram realizadas operações nas residências de vários suspeitos, depois de operações em fevereiro, março e abril nas casas e locais de trabalho de diretores da Audi na Alemanha, incluindo a sede da montadora em Ingoldstadt.

Recentemente, a Agência Federal dos Automóveis da Alemanha, a KBA, ordenou a realização de recall de quase 60.000 dos modelos A6 e A7 após a descoberta de um “dispositivo ilícito” capaz de falsificar os níveis de emissões de gases poluentes.

Fotos: Divulgação

Galeria: Audi A7 2019