Grupo deve arcar com os custos do Dieselgate sem precisar se desfazer da marca de motos

Especulada pela imprensa da Europa desde o início deste ano, a venda da Ducati por parte do grupo Volkswagen está agora praticamente cancelada. Conforme detalha a agência de notícias Automotive News, o grupo alemão abandonou definitivamente os planos e não vê mais a necessidade de se desfazer da marca para compensar os gastos com o escândalo do Dieselgate. A companhia alega que está aumentando gradualmente sua margem financeira e organizacional para implementar um importante realinhamento estratégico, e que, portanto, "não há necessidade econômica de vender a Ducati".

Leia também:

Ducati Multistrada 950

"Posso garantir que a Ducati pertence à família Audi", disse o CEO Rupert Stadler. "A Ducati é a implementação perfeita da nossa filosofia premium no mundo das motos", completou. Desde meados do ano a ideia já havia desidratado, principalmente por conta de pressões sindicais e de membros do próprio conselho executivo do grupo (especialmente as famílias Porsche e Piëch). Além do mais, os resultados financeiros têm sido pra lá de animadores no acumulado do ano, indo de encontro a qualquer necessidade urgente de "fazer dinheiro" para custear o Dieselgate.

A própria Audi, proprietária de fato da Ducati, anunciou há pouco o alcance de um dos maiores lucros operacionais de toda sua história, graças em especial ao desempenho recorde na Europa e nos Estados Unidos.

Fonte: Automotive News
Fotos: Divulgação

Gallery: Ducati Multistrada 950