Marca coreana irá investir R$ 165 milhões para recuperar sua posição no mercado nacional

A Kia está só esperando a mudança de regime automotivo para começar a acelerar novamente no Brasil. José Luiz Gandini, presidente da marca no país, anuncia um investimento de R$ 165 milhões para o ano que vem e diz que irá reestruturar a empresa. Para este novo começo, já promete seis lançamentos ainda no primeiro semestre de 2018, entre eles o tão esperado hatch Rio e sua versão sedã.

Leia também:

“Vendemos 80 mil carros em 2011, este ano serão 8.000. Precisamos voltar a grandes praças, mas como nomear novos concessionários se não tínhamos carros para entregar?”, afirma Gandini, referindo-se à limitação imposta pelas cotas anuais de 4.800 carros importados, um dos itens mais criticados do programa Inovar-Auto.

Com o fim do Inovar-Auto previsto para janeiro (e embora o novo regime Rota 2030 ainda esteja travado por discussões sobre impostos), o empresário projeta vender 20 mil carros em 2018, aproveitando o fim das cotas. O primeiro lançamento deve ser o Rio, prometido para o ano passado e que finalmente começou a ser feito no México. Virá na versão hatch e sedã, equipado com o motor 1.6 flex de 128 cv e 16,5 kgfm, o mesmo do Hyundai HB20.

Os outros quatro carros serão o Picanto GT , com motor 1.0 de 80 cv; o sedã médio premium Stinger, que irá concorrer com BMW Série 3 e Audi A4; a nova geração do SUV grande Sorento; e o sedã grande Cadenza.

De acordo com a Folha de São Paulo, a Kia Motors do Brasil concluiu o processo de homologação de alguns modelos híbridos e elétricos para nosso país, porém aguardam pelo Rota 2030 e suas regras para os carros “verdes”. Após a divulgação do novo regime automotivo, irão definir qual será a estratégia para esses veículos.

Além dos lançamentos, também farão uma reestruturação nos pontos de vendas com a abertura de 10 novas concessionárias nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste. O objetivo é saltar das 90 lojas que possuem atualmente para 115 até o fim de 2018 – ainda abaixo dos 180 representantes que tiveram em seu auge, antes do Super IPI e restrições para importados.

Fonte: Folha de São Paulo

Kia Rio hatchback e sedã nos EUA