Em três gerações, ele virou sonho de consumo dos jovens ao redor do mundo, vendendo 4 milhões de unidades

Não há como negar: ao menos uma vez na vida, alguém desejou ter um Audi A3. O hatch, lançado na Europa em 1996, chega aos 20 anos de idade mantendo seu status de produto dos sonhos. Começou como um simples carro de entrada da Audi, apenas com versões de três portas, para três anos depois ser lançado com cinco portas, atendendo um desejo de parte dos consumidores. 

 

Audi A3 generations

 

Feito sobre a plataforma do VW Golf, a PQ34, foi brasileiro de 1996 até 2006, saindo da fábrica de São José dos Pinhais (PR) com motores 1.6, 1.8 e 1.8 Turbo de 150 cv ou 180 cv, com câmbios manual de cinco marchas ou Tiptronic. Em 2000, ele foi reestilizado, com mudanças nos faróis e lanternas, e em 2003 foi vendido ao lado de sua segunda geração, que voltava a ser importada. Ali nascia o Sportback, com 5 portas e desenho diferenciado na traseira, e as opções de motores turbo com injeção direta e câmbio S-Tronic. Em 2008, foi atualizado.

 

Audi A3 generations

 

A terceira geração surge em 2012, sobre a plataforma MQB. No ano seguinte, é lançado o inédito Sedan. Com motores 1.4 e 1.8 turbo, sempre com câmbio S-Tronic. Em 2015, ele foi o responsável por reabrir a fabricação do A3 em solo brasileiro, mas com câmbio Tiptronic e eixo de torção no lugar da suspensão traseira independente. Junto, ele trocou o motor 1.8 pelo 2.0 turbo, o mesmo do Golf GTI, de 220 cv, mantendo a caixa de dupla embreagem e a suspensão traseira independente (ufa!). 

Todas as gerações possuíram versões S, esportivas com tração integral, e a RS veio apenas na segunda e terceira. Há também a variante Cabrio a partir da segunda geração. 

A quarta geração, que estava em desenvolvimento, foi adiada, já que a atual ainda é bem aceita pelo mercado europeu, principalmente após reestilização recente.

Gerações - Audi A3 20 anos