O único da lista que foi vendido no Brasil, o Lifan 320 foi a forma da marca chinesa se estabelecer no país, apostando no visual chupado da Mini para oferecer algo parecido a um preço muito menor. Tinha um motor 1.3 de somente 88 cv e 11,2 kgfm e câmbio manual de 5 marchas. Assim como no caso do Landwind X7, virou caso de justiça, mas desta vez no Brasil, quando a BMW (dona da Mini) entrou com um processo em 2012 pedindo a proibição da venda do hatch. A justiça brasileira foi tão rápida que deu ganho de causa para a BMW em 2019, sendo que o 320 deixou de ser vendido em 2014.