Nascido em 1980 com a missão de substituir o Fusca, o Gol patinou na estreia. Insistindo na resistência e facilidade de manutenção do motor boxer refrigerado a ar, a VW o equipou com o mesmo propulsor 1.300 do Fusca (que lhe rendeu o apelido de "batedeira"). Era tão fraco que, logo em 1981, o Gol ganhou o 1.600 também a ar. Mas os clientes ainda esperavam algo mais eficiente e com melhor desempenho, o que só veio em 1984 com a adoção do motor AP 1.6 vindo do Passat, refrigerado a água. O motor a ar ainda foi mantido até 1986 na versão BX, quando enfim deixou de ser oferecido.