Versão esportiva esbanja 400 cv, mas não abre mão de espaço ou conforto; Sob encomenda por R$ 458.990

Fãs do Audi Q3 não tiveram do que se queixar sobre a nova geração do SUV, exceto por uma questão: no Brasil o modelo está disponível somente com motor 1.4 TFSI de 150 cv, o que é pouco para quem se acostumou com as versões 2.0 TFSI do passado. A explicação da marca alemã para não trazer versões mais caras do Q3 ao país é não criar competição interna com o irmão maior Q5. Mas quem preferir o SUV compacto pode partir para uma decisão radical: o RS Q3, versão esportiva com motor 2.5 turbo de 5 cilindros e 400 cv, que é oferecida sob encomenda (via venda direta) por R$ 458.990.  

Assim, o RS Q3 entrega um pacote de alto desempenho sem perder nada da praticidade da versão convencional, podendo ser o primeiro veículo da família sem grandes concessões. Nossos colegas do Motor1.com Espanha tiveram a oportunidade de acelerá-lo por alguns dias e agora contam se vale a pena você encomendar o seu por aqui.

Teste Audi RS Q3 2021

Parece papo de vendedor, mas o RS Q3 tem realmente muitos aspectos racionais, a começar pela forma como a Audi o configurou. Embora seja um canhão e tenha consumo consumo elevado em condução esportiva, ele não é exagerado em termos visuais ou especialmente seco de suspensão.

Claro que a imagem do SUV é forte, ainda mais nesta cor vermelha, e há muitos elementos especiais no visual, mas o conjunto está perfeitamente integrado, sem abuso de apêndices aerodinâmicos ou componentes supérfluos. As rodas são de aro 21" e a dupla saída de escape gera um som brutal, especialmente se optamos pelo modo Dynamic do Audi Drive Select. Dá vontade de ficar acelerando parado só para ouvir. 

Como opcional, na Europa, pode se montar freios com disco de cerâmica feitos principalmente para quem for "castigar" seu RS Q3 em track days. A parte frontal é destacada pelas tomadas de ar e o difusor traseiro atravessa praticamente toda a largura do carro. Merece uma volta (em torno) do modelo para apontar tudo aquilo que o converteu de um SUV familiar para um modelo com apelo "racing". 

Obviamente, o interior vem convenientemente personalizado, com um volante de base reta revestido em Alcantara (opcional) que conta com o botão que dá acesso direto aos programas personalizáveis RS1 e RS2 - que permitem, por exemplo, desligar o controle de estabilidade rapidamente. Também são especiais os bancos dianteiros do tipo concha com encosto de cabeça integrado, que segura e apoia muito bem o corpo. 

Igualmente, o layout do painel digital Audi Virtual Cockpit é específico para o modelo, e a cabine ainda conta com luz ambiente personalizável em até 30 cores, de tal forma que nos sentimos quase como numa nave espacial, embora seja fácil nos acostumarmos com os ajustes de configuração. Isso apesar de que ainda sinto falta do comando circular MMI para acessar os submenus da multimídia, o que agora só se faz com toques na tela. 

Sobre o espaço e porta-malas, vale o que já falamos sobre o novo Q3 outras vezes. Em relação à antiga geração, a plataforma MQB permitiu esticar em 7,7 cm a distância entre-eixos, dando como resultado 4,2 cm a mais de espaço para as pernas no banco traseiro. Isso significa que mesmo adultos altos ficam bem acomodados, e o banco traseiro ainda corre sobre trilhos em 15 cm, permitindo modular o porta-malas de 530 a 675 litros. Parece até que os 4,50 metros de comprimento do RS Q3 são mais longos...

Prueba Audi RS Q3 2021
Prueba Audi RS Q3 2021
Prueba Audi RS Q3 2021

Na parte das sensações dinâmicas, é impossível não falar de quanto esse motor de 5 cilindros é especial. O bloco 2.5 com turbo e injeção direta chega aos 400 cv entre 5.850 e 7.000 rpm, um regime mais elevado que um motor de 4 cilindros turbinado e próximo de um raivoso motor aspirado. Se contarmos que o torque máximo de 49 kgfm está disponível entre 1.950 e 5.850 rpm, entenderá que se trata de um propulsor realmente brutal com um range de rotações elevadíssimo. Sua associação com a transmissão automatizada de dupla embreagem e 7 marchas S-Tronic resulta muito convincente, ainda que com um pequeno "mas".

Me refiro a que, usando o modo Efficiency de condução em Drive, a fim de obter melhores médias de consumo, não obtemos a resposta desejada do acelerador, que fica muito lento. Obviamente que usando o modo Sport do câmbio ou fazendo as trocas manualmente pelas borboletas, isso não acontece.  

Prueba Audi RS Q3 2021
Prueba Audi RS Q3 2021

Quanto ao consumo, o Audi RS Q3 2021 tem média declarada de 10,5 km/litro, uma cifra que podemos observar no computador de bordo se usarmos o modo Efficiency e dirigirmos com bastante calma. Mas o normal é fazer médias bem abaixo disso...

Basta saber que estamos numa máquina capaz de largar de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos e chegar a 280 km/h de máxima (pacote opcional, já que o de fábrica vem limitado a 250 km/h). Ou seja, você já entendeu que basta uma mínima insinuação sobre o acelerador que já estará somando pontos na sua carteira de motorista. 

Prueba Audi RS Q3 2021

Como disse no começo da avaliação, o SUV alemão não peca por ter uma suspensão dura (embora seja 10 mm mais baixa que a do Q3 convencional). Em nossa unidade, podemos desfrutar dos amortecedores adaptativos (opcionais) que contam com os programas Confortável, Equilibrado e Esportivo. 

Mesmo no modo mais firme podemos circular com uma boa dose de conforto em pisos bem pavimentados, pois o RS Q3 não é aquele esportivo extenuante que dá um "rebote" a cada irregularidade. Se ativarmos o modo mais macio, não receberá nenhuma queixa da família mesmo em uma longa viagem. 

Prueba Audi RS Q3 2021
Prueba Audi RS Q3 2021

Além de ser um "cruzador" fantástico para longos trajetos, o RS Q3 se comporta muito bem em todos os tipos de curvas. Em dobras muito fechadas, é verdade que ele não transmite a mesma sensação de um hot hatch, como poderia ser no RS3, mas surpreende como um carro de altura elevada e mais de 1.700 kg supera as curvas desta forma. 

A direção com relação variável, opcional, facilita muito as coisas na hora de mudar a trajetória sem tem que virar muito o volante. E ainda temos uma excelente capacidade de tração do sistema quattro, que mediante uma embreagem multidisco, é capaz de dominar o conjunto nas saídas de curva e até em alguns "abusos" que você se meter. Tudo isso acompanhado de um ronco bravo, realmente único, e um sistema de freios que parece infatigável. 

Enfim, o RS Q3 comprova que alto desempenho e diversão ao volante podem se conjugar com uma praticidade fabulosa. A conta é alta, mas não impediu que mais de 90 brasileiros já encomendassem o seu. E aí, vai entrar na fila? 

Galeria: Audi RS Q3 2021

Audi RS Q3 2021

Motor Gasolina, 5 cilindros em linha, turbo e injeção direta, 2.480 cm³
Potência e torque 400 cv entre 5.850 e 7.000 rpm
Torque máximo 49 kgfm entre 1.950 e 5.850 rpm
Transmissão Automatizada de dupla embreagem S tronic, 7 marchas
Aceleração 4,5 s
Velocidade Máxima 250 km/h (imitada); 280 (limitada) como opcional
Consumo de combustível 10,5 km/litro
Tração Integral quattro
Comprimento 4,50 m
Largura 1,85 m
Altura 1,60 m
Peso 1.715 kg
Lugares 5
Volume do porta-malas 530-675 l
Preço de entrada R$ 458.990
Envie seu flagra! flagra@motor1.com