Com alterações apenas visuais, vale pagar mais pelo aventureiro?

Depois de alguns anos quase esquecidos, os hatches ventureiros voltaram com tudo. Em 2018, a Ford lançou o inédito Ka Freestyle para brigar com Hyundai HB20X e Chevrolet Onix Activ (até fizemos este comparativo), além do Sandero Stepway. Mais recentemente a Fiat apresentou o Argo Trekking. A Toyota também não quis ficar de fora desse jogo, com o Yaris X-Way. 

O Yaris X-Way é o substituto natural do Etios Cross. Como seu antecessor, ele trouxe apenas mudanças estéticas em relação à versão do qual deriva, a XS. Pelos R$ 3.100 a mais, o aventureiro traz proteções plásticas nos para-lamas, barras longitudinais no teto, apliques nos para-choques dianteiro e traseiro, grade dianteira preta, friso lateral e as rodas de 15" pintadas de preto. Mudanças mecânicas? Nada. Nem mesmo os pneus são diferentes. 

Toyota Yaris X-Way (teste)

Diferentemente do Argo Trekking, o X-Way não tem qualquer alteração técnica, seja em suspensão e direção ou motor. Ele mantém o 1.5 de 4 cilindros com duplo comando variável de até 110 cv e 14,9 kgfm ligado ao câmbio CVT com simulação de 7 marchas. Até o peso é o mesmo do Yaris XS, com 1.135 kg na balança. 

Por um lado, isso é bom. Se você quer apenas o visual diferenciado, o Yaris se mantém o mesmo que já elogiamos desde seu lançamento. O casamento do motor 1.5 com o câmbio CVT o faz parecer ter mais potência do que realmente tem, com boas arrancadas e retomadas, além de manter boas médias de consumo. A suspensão, sem alterações (ela já é 15 mm mais alta em comparação com o Yaris tailandês), privilegia claramente o conforto e continua deixando o Yaris balançar em velocidades mais altas. O que, juntamente com a direção elétrica leve e com pouca comunicação em velocidade, reduzam a vontade de acelerar do motorista, mesmo que o motor e câmbio até empolguem. 

Toyota Yaris X-Way

O mais estranho é andar com um modelo "aventureiro" e ter de se preocupar com valetas e lombadas. Na verdade, o X-Way é pior que o Yaris normal neste quesito, uma vez que o aplique dianteiro deixa o "queixo" mais pronunciado e uma peça plástica no fim da caixa de roda raspa em algumas lombadas quando o carro está carregado. Os apliques laterais combinariam melhor com um jogo de rodas de 16" e pneus mais largos. Os pneus são finos para o porte do carro, medidas 185/60 R15, mesmo problema das versões convencionais. 

No interior, apenas os tapetes de carpete denunciam a versão com a inscrição X-Way. No mais, os bancos em couro, o acabamento em preto no teto e colunas e os equipamentos são idênticos aos do Yaris XS. Nem mesmo a animação que passa na tela do painel de instrumentos ganha os detalhes do aventureiro. Parece bobo, mas pequenos detalhes ganham clientes. Em espaço interno, temos o elogiável piso quase plano na traseira e uma boa largura para os ombros, além de bancos confortáveis e um porta-malas para 310 litros. Assim como os...demais Yaris hatch. 

Toyota Yaris X-Way (teste)

As reclamações também são as mesmas. Faltam a regulagem de profundidade da coluna de direção (que dificulta achar a melhor posição para dirigir) e o espelhamento de smartphones na central multimídia, que até tenta trabalhar com aplicativos como o Waze via Bluetooth, mas não tem a mesma velocidade e eficiência do Android Auto ou Apple CarPlay. 

Por R$ 80.290, o Yaris X-Way traz conjunto elétrico (os 4 vidros com função "um toque" e retrovisores com rebatimento elétrico), chave presencial com partida por botão, sistema multimídia de 7", painel de instrumentos com tela colorida para o computador de bordo, bancos em couro, piloto automático, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, faróis com acendimento automático, retrovisor interno fotocrômico, ar-condicionado automático e fixações Isofix no banco traseiro. 

O X-Way está literalmente entre o XS e o XLS, topo de linha que custa R$ 83.390 e traz a mais o teto-solar, sete airbags (apenas os frontais no X-Way), faróis com projetores e assinatura em LEDs, lanternas em LEDs, sensor de chuva e detalhes cromados no exterior. 

Toyota Yaris X-Way

A questão é que você pode economizar e levar o XS com o mesmo conjunto mecânico e os mesmos itens ou por um pouco a mais levar os equipamentos extras na XLS. A X-Way é para atender mesmo um público bem específico, já que a diferença de preço para as versões acima e abaixo é pequena. O Onix, por exemplo, tem um gap de R$ 3 mil entre a versão Activ e LTZ, mas existem diferenças técnicas entre elas. Em resumo, o Yaris X-Way mantém as qualidades (e defeitos) das demais versões, mas poderia ter ao menos ajuste de suspensão e pneus diferenciados para justificar o preço mais alto. 

Fotos: divulgação, Leo Fortunatti e arquivo Motor1.com

Ficha técnica - Toyota Yaris X-Way

MOTOR dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.496 cm3, comando duplo variável, flex
POTÊNCIA/TORQUE 105/110 cv a 5.600 rpm; 14,3/14,9 kgfm a 4.000 rpm
TRANSMISSÃO Automática CVT com simulação de 7 marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; 
RODAS E PNEUS liga leve aro 15" com pneus 185/60 R15
FREIOS discos na dianteira e tambores na traseira, com ABS e EDB;
PESO 1.135 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.145 mm, largura 1.730 mm, altura 1.490 mm, entre-eixos 2.550 mm
CAPACIDADES tanque 45 litros; porta-malas 310 litros
PREÇO R$ 80.290
MEDIÇÕES MOTOR1
    Toyota Yaris 1.5 CVT
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 5,4 s
  0 a 80 km/h 7,8 s
  0 a 100 km/h 11,1 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em 3a 7,7 s
  80 a 120 km/h em 4a 7,5 s
  Frenagem  
  100 km/h a 0 42,6 m
  80 km/h a 0 27,4 m
  60 km/h a 0 15,5 m
  Consumo  
  Ciclo cidade 8,1 km/l 
  Ciclo estrada 11,3 km/l 

 

Galeria: Toyota Yaris X-Way (teste)