Renovada para a linha 2019, ela substitui a antiga Lander e a Ténéré 250 de uma só vez

É um jogo de cartas marcadas: Honda e Yamaha estão sempre se estudando para tentar se antecipar uma à outra em termos de lançamentos. Após a marca da asa renovar a XRE300, agora é a vez da rival dos diapasões responder com a nova Lander 250. Veja abaixo nossa apresentação em vídeo da nova Yamaha e em seguida um tira-teima contra a eterna concorrente da Honda. 
 

O que muda?

Nova Yamaha Lander 250 (2019)
Lander: A Yamaha resolveu apostar numa nova estratégia para sua trail de 250 cc. No lugar da antiga Lander e da Ténéré 250, agora haverá apenas uma moto, a nova Lander 250. Para fazer o papel de duas motos em uma, a novidade procurou agregar pontos positivos das duas antecessoras, como a agilidade da Lander e o conforto da Ténéré. Assim, Lander 2019 traz um tanque de 13,6 litros (era 11 l na Lander anterior e 16 l na Teneré) e um banco mais largo e com duas alturas (mais elevado na parte do passageiro). Já o design foi inspirado na XT660, como podemos perceber pelo desenho das novas carenagens e pelas proteções plásticas das bengalas da suspensão dianteira. O farol tem novo formato e agora usa lâmpada de LED, enquanto a lanterna (também em LED) foi mantida da Ténéré. Na parte mecânica, a principal atração fica por conta da adoção dos freios ABS (de série), embora sua atuação seja restrita à roda dianteira.
Honda XRE 300 ABS 2019
 
XRE: Esqueça aquela carenagem pontuda sobre o para-lama que caracterizava a XRE desde seu lançamento, em 2009. Agora para a linha 2019 a trail da Honda recebe a reestilização mais profunda de sua história. Elemento característico do modelo, a carenagem sobre o para-lama ganhou novo formato, que lembra as BMW. As carenagens laterais também foram redesenhadas e deram aspecto mais robusto à XRE, como se ela fosse de maior cilindrada. Já a iluminação passou a ser totalmente em LED, incluindo o novo farol de formato irregular, a lanterna traseira (também inédita) e os piscas, que são semelhantes aos da Africa Twin. Novidade técnica é o ABS de dois canais, que segundo a Honda melhorou a eficiência de frenagem em 20%. Atuante nas duas rodas, o ABS passa a ser item de série da XRE 2019. 
 

Mecânica

Nova Yamaha Lander 250 (2019)
Nova Yamaha Lander 250 (2019)
Lander: Mantém o conhecido motor SOHC de duas válvulas e 249,5 cc, com injeção flex, capaz de entregar 20,9 cv de potência e 2,1 kgfm de torque. Embora sem mudanças, a Yamaha diz ter reprogramado a central eletrônica do propulsor para saídas mais ágeis. A Yamaha diz que o chassi em berço semi-duplo de aço é novo, agora reforçado na traseira para permitir uma carga de até 7 kg no bagageiro. Já a suspensão segue com garfo telescópico de 41 mm na dianteira e monoamortecida na traseira (agora com cinco regulagens de pré-carga), mantendo o curso da Ténéré na dianteira (220 mm) e com 204 mm na traseira (a antiga Lander tinha 240 mm e 220 mm, respectivamente). As rodas seguem com aro 21" na frente e 18" atrás, montadas em pneus Metzeler Tourance 80/90 e 120/80, na ordem. Os freios a disco são da Nissin, com a novidade do ABS na dianteira. 
Honda XRE 300 ABS 2019
Honda XRE 300 ABS 2019
 
XRE: a Honda também preferiu não mexer em time que está ganhando. Isto é, a parte mecânica da XRE 2019 é a mesma de antes, incluindo o motor DOHC de 291,6 cc com injeção flex e o câmbio de cinco marchas. Ele gera até 25,6 cv de potência e 2,8 kgfm. Apesar dos problemas que teve com rachadura do cabeçote deste propulsor no passado, a Honda diz ter resolvido a questão desde 2016, e que optou por mantê-lo pela boa oferta de torque na comparação com o novo 250 cc SOHC da Twister. Os freios agora possuem ABS de dois canais, atuantes tanto na roda aro 21" da dianteira quanto na 18" da traseira. Com a retirada do sistema CBS, entre outras mudanças, a XRE ficou 5,4 kg mais leve, o que de acordo com a Honda melhorou as acelerações. Os pneus são Metzeler Enduro Sahara de medidas 90/90 na frente e 120/80 atrás. E o tanque manteve os 13,8 litros.  
 

Como andam?

Nova Yamaha Lander 250 (2019)
Lander: O trajeto do test-ride da nova Lander compreendeu estradas vicinais e trechos de terra batida. Como o motor foi apenas reprogramado, a entrega de força, ruído e vibração são praticamente iguais aos da anterior, com a vantagem de uma resposta um pouco mais ágil ao comando do acelerador. Da mesma forma, o câmbio de 5 marchas trabalha em sintonia com motor, não exigindo reduções constantes, com bom torque em baixas rotações, o que ajuda no uso off-road. A suspensão, com curso um pouco menor que a da antiga Lander, deixou a nova trail um pouco mais firme principalmente na traseira, mas segue confortável na buraqueira. Para acompanhar, o painel LCD ganhou função de consumo médio e instantâneo. 
Nova Honda XRE 2019
 
XRE: O trajeto do test-ride da nova XRE foi bem diferente da rival, com cidade e autoestrada. Faltou terra, mas foi o suficiente para perceber que, no geral, a trail da Honda continua bem acertada. A suspensão um pouco mais firme que a da Lander garante confiança nas curvas e boa absorção de impactos. Já o motor não desagrada, mas, com quatro válvulas (a Yamaha tem duas), responde melhor em altas rotações. Para compensar, a relação de transmissão é mais curta e, na estrada, faz falta uma sexta marcha para baixar o giro (que a Lander também não tem). Destaque do modelo 2019 fica por conta dos freios, com ótima resposta e espaços de parada mais curtos. A posição de pilotagem é muito boa nas duas (ereta e com guidão alto), mas o banco da XRE é um pouco mais baixo (860 contra 875 mm). Na Yamaha, isso pode intimidar os baixinhos. 
 

Quanto custam?

Nova Yamaha Lander 250 (2019)
Lander: A Yamaha só irá divulgar o preço da Lander 2019 quando ela chegar às lojas, o que está marcado para a segunda quinzena de janeiro. É possível, no entanto, fazer uma previsão baseada nos valores das motos que ela vai substituir. A atual Lander sai por R$ 15.690, enquanto a Ténéré 250 custa R$ 16.490. Coloque aí o custo do ABS na dianteira e outras novidades para supor que a nova Lander deverá chegar por volta de R$ 17 mil. Uma novidade interessante para os clientes é que a garantia da nova trail será de 4 anos, um a mais que a da Honda. E, para os órfãos da Ténéré, a Yamaha vai oferecer como acessório uma bolha para-brisa e o conjunto de proteções laterais, além do baú (foto acima). 
XRE 2019
XRE: Agora sempre com freios ABS (não existe mais a versão Standard), a trail da Honda é oferecida em três versões (XRE, XRE Adventure e XRE Rally) que se diferenciam apenas pela pintura e grafismos. Os preços são de R$ 18.200 (azul ou cinza), e de R$ 18.690 na Adventure (verde fosco) e na Rally (vermelha e preta), sendo que nesta última o esquema de cores foi inspirado na Africa Twin. A garantia é de 3 anos com 7 trocas de óleo grátis.  

Conclusão

Nova Yamaha Lander 250 (2019)

As duas poderiam ter mudado mais na parte mecânica, mas tanto a Yamaha quanto a Honda preferiram manter os motores e câmbios já conhecidos (dos clientes e dos mecânicos). A Lander terá mais responsabilidade por ter de assumir a posição de duas motos, mas deve ter a seu favor o preço mais em conta que o da rival. Já a Honda seguirá com a vantagem do motor um pouco mais forte e do ABS nas duas rodas, para quem puder (ou quiser) pagar por isso. Agora o próximo passo é juntar as duas para um comparativo completo, o que pretendemos fazer o quanto antes. Fique ligado!

Por Daniel Messeder e Eduardo Silveira 

Fotos: Honda e Yamaha especial para o Motor1.com 

Galeria: Nova Yamaha Lander 250 (2019)