Apesar do projeto conjunto com a BMW, o Supra mantém muito do que era amado em seu antecessor

Entro em uma curva fechada, com uma queda acentuada e sem guard rail, e dou um toque rápido no freio. Os pneus dianteiros reclamam e a traseira balança um pouco. A velocidade reduz e eu engato a segunda marcha. Vamos lá, carro! Está demorando muito para retomar a velocidade. 

Leia também

É isso que eu esperava do novo Toyota Supra, a tão aguardada quinta geração do mais venerado esportivo da marca? Não, mas eu não estava dirigindo o Supra. Eu estava com o seu irmão menor, o Toyota GT86, perseguindo um Supra no Circuito del Jarama, perto de Madri, na Espanha. 

Lógico, eu estava exigindo muito de mim e do 86 com seu motor boxer aspirado de 205 cv, que não é páreo para o seis cilindros em linha 3.0 turbo do novo Supra. Assim, vejo o Supra se afastar. Ele veste um envelopamento para esconder as principais linhas da carroceria, mas não há como esconder a aceleração ou como o esportivo devora as curvas. Um conjunto de pneus Michelin Pilot Super Sport seguram o Supra, e como ele cola no asfalto. 

Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)

Não me entenda mal, mas estava me divertindo ao perseguir o novo esportivo, especialmente pelas trocas de marchas do câmbio manual. E isso infelizmente não encontrei no Supra, que tem apenas o câmbio automático de 8 marchas. De vez em quando, o motorista da frente segura o ritmo um pouco, permitindo que eu o busque. Estou suando de tanto esforço. Mas agora é hora de encostar e trocar os carros. E aqui começa a verdadeira diversão. 

A fama do Supra

A julgar pela pela fama em vídeo games como o Forza Motorsports e Gran Turismo, além da popularidade no "Velozes e Furiosos", você deve pensar que o Supra só existiu na última década. Mas a história do Supra começa em 1978 e vai até em 2002, quando então ele passou 16 anos dormindo. 

Mas os entusiastas ainda cobiçam o Supra, a ponto de a quarta geração ser sonho de consumo da maioria dos fãs da Toyota. Conhecido internamente como A80, ele era disponível com motor seis cilindros em linha biturbo (conhecido como 2JZ-GTE pela Toyota), com 320 cv, e câmbio manual de 6 marchas fornecido pela Getrag, além de uma enorme asa traseira. O Supra aparentava ser malvado e seu desempenho concordava com isso. 

Mas o A80 também foi o mais caro Supra. Assim como seu concorrente direto, o Nissan Z, o preço e a complexidade do carro foram aumentando com o tempo. No seu último ano nos Estados Unidos, 1998, a versão Turbo chegou aos US$ 40 mil. Mesmo assim, os fãs do Supra clamaram pelo seu retorno.  

Passaram-se 20 anos desde que o último Supra foi vendido nos Estados Unidos, e agora o icônico modelo esta próximo de voltar em uma totalmente nova geração. Em qualquer parte, não há qualquer conexão entre o antigo e o novo, chamado internamente de A90, um carro construído e projetado em parceria com a BMW (que fez o novo Z4). 

Enquanto o exterior do Supra e do Z4 são bem diferentes (mesmo quando camuflados), os pontos principais do interior são os mesmos. O motor 3.0 turbo de seis cilindros em linha e a transmissão são da BMW. Até mesmo os acabamentos são derivados dos alemães. 

Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)

Este motor é compartilhado com o Z4 M40i, embora a Toyota não fale sobre isso. Mesmo que a marca tenha nos dado a oportunidade de dirigir o novo Supra, a empresa escondeu todas as especificações - incluindo potência. O representante da Toyota diz que informação deverá vir no fim do ano, e executivos apenas dizem que o seis em linha "tem mais de 300 cv". Certo, ele deve ao menos ter os mesmos 340 cv e 50,1 kgfm de torque do Z4 M40i. 

Quando começar a ser vendida nos Estados Unidos, a versão de lançamento terá diferencial eletrônico e suspensão ativa. Não há esterçamento das quatro rodas ou tração integral. Masayuki Kai, o engenheiro-chefe assistente do Supra, diz que a empresa está "estudando" um número de potenciais opções. Desde motores menores e maiores, um teto removível (tipo targa), e até mesmo câmbio manual. 

"Tecnicamente, o câmbio manual é possível", disse Kai-san. "Mas com este motor de alto torque, é difícil ter boas trocas. Você não quer se sentir dirigindo um caminhão. Mas claro que é possível, só depende das respostas do mercado". 

Ainda é um Supra

Pelo Circuito del Jarama, rapidamente achei o coupé intuitivo e fácil de dirigir rápido. A distribuição de peso 50/50 entre os eixos (outra coisa típica da BMW) fica bem evidente. Mas o maior charme do Supra é que ele não tem ambições de supercarro. Ele é rápido, mas não do tipo que bagunça o cérebro. É o tipo de carro que você quer ter em uma estrada, não se preocupando se seu amigo quiser o dirigir também. Com peso de menos de 1.540 kg e os números de potência estimados, o Supra ainda é um esportivo divertidamente acessível. 

Saindo do 86 para o Supra, ligo o carro em busca do ronco. Não há muito barulho do motor, infelizmente, e alguns sons vem pelos falantes internos, um truque vindo da BMW. Alguns pontos do interior ainda não estão finalizados, disse a Toyota. Dentro do meu carro estavam coisas escondidas com material camuflado. 

Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)
Avaliação Toyota Supra (prototipo)

Sem problemas. O que queremos agora é ver como ele anda. Agora, o 86 está atrás de nós, brigando para se manter próximo. Coloco o Supra no modo manual, que habilita trocas rápidas, mas não impressionantes. A direção é precisa, mas ele é mais Toyota que BMW - melhor comunicação com a via cairia bem. 

A posição de dirigir é excelente, com bancos confortáveis e de suporte firme ao mesmo tempo. A suspensão adaptativa perdoa até mesmo lombadas, mas os freios da Brembo nos dá menos confiança que gostaríamos. A Toyota diz que ainda está trabalhando em detalhes como os freios. Imagino que será bem melhorado antes do carro ser vendido. 

E aqui vou eu me aproximando de outra curva fechada. Mais uma vez com uma queda na lateral e sem guard rail. Embora não tenha passado muito tempo com o Supra, já sei que não preciso ficar nervoso ao pisar no freio dessa vez. Dou mais acelerador, viro o volante e pronto. 

Desculpas ao amigo atrás com o 86. Prometo que encostarei na lateral da pista para deixar você me alcançar... 

Fotos: divulgação

Toyota Supra Prototype 2019

Motor 3.0, seis cilindros em linha, turbo
Potência 340 cv / 50,1 kgfm (estimado)
Transmissão Automático de 8 marchas
Tipo de direção Tração traseira
0 a 60 mph 4.,3 segundos (estimado)
Consumo de combustível Não revelado
Peso 1.540 kg (estimado)
Preço de entrada Não revelado

Galeria: Avaliação Toyota Supra (prototipo)