A Mini está atualmente desenvolvendo a próxima geração de seus modelos principais, incluindo um hatch de duas portas e o crossover Countryman. A produção da atual geração ainda está em andamento, mas a montadora decidiu simplificar a programação para os meses restantes nas linhas de montagem. Sabe-se agora que os problemas de falta de componentes está forçando a Mini a paralisar a produção de carros equipados com câmbio manual.

Como a crise do semicondutores continua e outros problemas afetam a produção da indústria automotiva, a Mini quer "garantir a estabilidade da produção", como relata o site Autocar, e atender à crescente demanda por seus veículos. Pelo que entendemos desta situação, parece que a decisão é válida para todo o mercado global, não somente para o Reino Unido - terra natal da montadora. Por enquanto, a Mini não confirmou se essa mudança será permanente ou apenas temporária até que a escassez de semicondutores acabe.

Galeria: Mini Cooper Pat Moss Edition

"As circunstâncias atuais, incluindo a guerra na Ucrânia e a escassez de semicondutores, estão causando restrições na cadeia de fornecimento em toda a indústria automotiva global", disse Mini em uma declaração. "Com o intuito de garantir a máxima produção para atender à crescente demanda dos clientes, nossa oferta de produtos precisa ser simplificada. Esta solução é a forma mais eficaz de garantir a estabilidade da produção para que possamos continuar a abastecer todos os nossos clientes com novos Minis".

Será muito interessante ver se os modelos de próxima geração da Mini estarão disponíveis com uma transmissão manual. Caso a escassez de chips continue no próximo ano ou até depois, não vamos nos surpreender se a nova geração do hatch e do Countryman chegarem apenas como modelos automáticos, ao menos num primeiro momento. Ambos os carros devem estrear antes do final do ano e começar a serem vendidos durante o primeiro trimestre de 2023 na Europa e Estados Unidos. 

Uma versão totalmente elétrica também está nos planos, o mais provável é que venha em duas versões. Um modelo básico virá equipado com uma bateria de 40 KWh, fornecendo uma autonomia de cerca de 297 quilômetros com uma única carga. Outra configuração mais potente com uma bateria de 50 kWh também deve estrear com uma autonomia projetada de 402 km e mais de 200 cv de potência. 

Envie seu flagra! flagra@motor1.com