Especulada há pelo menos dois anos, a novela que envolve o futuro do Chevrolet Camaro dentro da General Motors acaba de ganhar um novo capítulo. De acordo com relatório da agência de notícias Automotive News, o cupê sairá de linha definitivamente em 2024 e não terá direito a ganhar uma nova geração. No portfólio da empresa, acabará sendo substituído por um inédito sedã elétrico, de detalhes ainda desconhecidos.

A saída do Camaro do mercado é reflexo também das baixas vendas verificadas nos últimos anos. Em 2020, por exemplo, o esportivo registrou o pior volume de vendas dos últimos 20 anos. Ao todo, foram entregues apenas 29.775 unidades, o que representa queda de 38,3% em relação ao ano anterior. Na prática, foram vendidas 18.490 unidades a menos do que em 2019, que já não havia sido um ano muito bom para o modelo.

Galeria: Chevrolet Camaro LT1 2020

A substituição por um sedã elétrico faz parte do profundo processo de transição que o grupo vem promovendo internamento, passando de carros a combustão para modelos EV. "Eu não sei como a GM será capaz de realmente fazer essa transição sem enfrentar em algum momento uma pequena queda de volume, que só poderá ser recuperada quando os EVs estiverem mais fortes comercialmente", disse Stephanie Brinley, analista da IHS Markit, à Automotive News.

Além do especulado três-volumes, o calendários de novidades elétricas da GM inclui versões EV das picapes Chevrolet Silverado e GMC Sierra (lançamento previsto para 2023) e do SUV Cadillac Escalade (estreia programa para 2024). Por sua vez, o sedã Malibu provavelmente se tornará elétrico em algum momento depois de 2025.

A partir de 2035, praticamente todos os veículos vendidos pela empresa nos EUA terão propulsão elétrica. A exceção ficará por conta das versões de trabalho das picapes Chevrolet e GMC, que manterão motores tradicionais por mais algum tempo.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com