Versão preparada da picape tem suspensão especial e motor 2.0 biturbo diesel de 213 cv; flagra foi feito próximo de Tatuí (SP)

Desejada por aqui, a Ford Ranger Raptor foi flagrada mais uma vez rodando em testes pelas ruas do Brasil. E dizer que a picape é querida pelo público no país mesmo sem nunca ter sido vendida não é nenhum exagero, já que basta observar quantas Ranger por aí recebem acessórios para ficarem parecidas com a versão mais radical da picape.

As fotos foram feitas pelo seguidor @_montechiesi e publicadas pelos colegas do perfil BF///MS no Instagram. E enquanto aqueles vídeos e fotos publicados em de julho do ano passado mostravam somente a traseira da Ranger Raptor, agora as novas imagens a exibem de lateral traseira. Outro detalhe é que o flagra de 2020 foi feito próximo da antiga fábrica da Ford em Camaçari, na Bahia, enquanto as novas fotos foram registradas perto do Campo de Provas da marca em Tatuí (SP).

Galeria: Ford Ranger Raptor - Flagra no Brasil

A picape aparece com carroceria preta com adesivos de grafismos brancos (oferecido como opcional em alguns países), que destacam principalmente o nome Raptor na lateral. A única diferença em relação ao 1º flagra (além da localização) é que essa unidade tinha lanternas com as luzes de seta e de ré com acabamento fumê, enquanto a outra tinha lentes brancas.

Vendida nos Estados Unidos e alguns mercados vizinhos da América Latina, como a Argentina (invejamos), a Ranger Raptor é uma versão preparada da picape para enfrentar todo tipo de terreno, trazendo tração 4x4 de série, rodas exclusivas aro 17” calçadas com pneus BF Goodrich All-Terrain, além da suspensão Fox produzida sob medida (com curso mais longo) e dotada de amortecedores coiloveer Watts Link na traseira. Em poucas palavras: é para aguentar o “tranco” nos usos mais severos.

 

Enquanto na terra do tio Sam a nova Ranger Raptor vai ganhar uma nova geração em 2023, trazendo inclusive estilo bem próximo da irmã maior F-150, a Ranger Raptor que deverá vir para o Brasil manterá o visual atual. Além disso, a nova geração nos EUA já está em testes com o motor V6 3.0 EcoBoost biturbo com cerca de 400 cv e câmbio automático de 10 marchas.

Para mercados da Ásia, Europa e América Latina, é previsto que a Raptor terá outra opção de motorização: um V6 3.0 turbodiesel de 253 cv e 60,8 kgfm (o mesmo usado nas F-150 comuns nos EUA). Assim como o V6 EcoBoost a gasolina, também será ligado a uma transmissão automática de 10 velocidades.

Atualmente, a Ranger Raptor vem equipada com um propulsor quatro cilindros 2.0 biturbo diesel de 213 cv e 51 kgfm de torque, que também trabalha com uma caixa automático de 10 posições. A versão vendida na Argentina traz esse conjunto mecânico, enquanto o visual é destacado pela grande com a inscrição Ford em letras garrafais, molduras plásticas nos para-lamas, para-lamas alargados, para-choque dianteiro exclusivo com proteção inferior pintada de prata e para-choques pintados em preto.

Se a Ford decidir trazer mesmo a Ranger Raptor para o Brasil (e deve trazer), certamente a picape vai ficar numa faixa de preço bem acima da atual (que custa R$ 279.990 na versão topo Limited), pois ela viria importada da Tailândia – único lugar no mundo que é fabricada. Para termos uma ideia, na Argentina a Ranger preparada é vendida por 6.241.235 pesos, o que em conversão direta dá R$ 341.512.

Resta saber como a Ford trabalharia no marketing da Ranger Raptor, pois ela tem 213 cv e 51 kgfm de torque, potência pouco acima das picapes convencionais (que estão na faixa dos 190 cv e 200 cv) e torque igual ao da Toyota Hilux e Chevrolet S10, por exemplo. No final, a Ranger Raptor se difere mais pela sua preparação do chassi/ suspensão e visual do que pelo seu motor, que fica atrás da VW Amarok V6, por exemplo, que se sobressai com seus 258 cv e 58,1 kgfm – apesar da proposta mais urbana.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com