Naquele país, autoridades locais aplicaram limites de velocidade só para motos e as proibiram em certos trechos

Se você acha que o governo brasileiro pega pesado com as motos só porque elas não podem usar algumas vias em determinados horários, vai se assustar com a postura dos europeus. Na França, o governo de lá proibiu o trânsito de motos entre os carros, o tal do “corredor”, e, obviamente, os franceses foram às ruas para protestar.

Mais recentemente, foi a vez dos motociclistas alemães reclamarem de seu governo. Com uma das melhores redes rodoviárias do mundo, além de rotas turísticas consideradas entre as mais bonitas para se andar de moto, a Alemanha, mais especificamente alguns dos governos municipais, decretaram uma série de restrições aos motociclistas.

Os administradores das pequenas cidades por onde passam as estradas preferidas dos motociclistas alemães alegam que as motos quebram a “paz” da região por conta dos escapes barulhentos e das altas velocidades. Com isso, alguns municípios já restringiram o volume máximo que pode ser emitido por uma motocicleta de passagem a 80 decibéis.

Outro caso grave ocorre na Bundestraße 500 (B500), rodovia federal que liga as cidades alemãs de Waldshut-Tiengen, próxima à fronteira com a Suíça, e de Triberg, a Sudoeste de Stuttgart. A região montanhosa perto dos Alpes é considerada um dos melhores passeios de moto para se fazer na Europa.

Nas Bundestraße, o limite para carros e motos varia entre 70 km/h e 100 km/h, dependendo da região. Na B500, as autoridades locais impuseram um limite de 50 km/h somente para motocicletas. Algo que incitou a ira dos motociclistas, pois os coloca em risco por serem forçados a andar mais devagar que os demais veículos na via.

Como se não bastasse o tratamento severo apenas para as motos, atualmente a L687, entre as cidades Rönkhausen e Wildewiese, literalmente proíbe qualquer motocicleta de circular na região. A L687 também é outra rota cênica que era bastante apreciada por motociclistas de todo o continente europeu até a proibição.

Ainda em 2020, a FEMA, Federação Europeia de Motociclistas, começou uma negociação com representantes dos governos locais, legisladores e associações de motociclistas para tentar chegar a um meio termo. No entanto, os alemães perderam a paciência e foram às ruas protestar contra as regras e proibições exclusivas para veículos de duas rodas.

Uma coligação de associações de motociclistas alemães organizou o “Upshifting - Dialogue Instead of Ban”, ou “diálogo ao invés de proibição”. Protestos com centenas de motociclistas foram registrados nas cidades alemãs de Nuremberg, Leipzig, Munique, Oldenburg, Colônia e Stuttgart. Apesar de as negociações ainda estarem ocorrendo, ainda não há previsão para uma solução e as associações já programaram mais um protesto para o mês de agosto.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com