Sedã-cupê alemão recebeu novo volante e inéditas opções de revestimento na cabine

Revelado ao mundo em 2018, o Mercedes-AMG GT Coupé foi a arma da fabricante alemã para rivalizar com o conterrâneo Porsche Panamera. Três anos depois, o sedã-cupê da marca da estrela de três pontas recebe sua primeira (e discreta) atualização visual na linha 2022, trazendo novidades principalmente em sua luxuosa cabine.

Por falar no visual do novo GT Coupé, ele traz como destaque a versão Manufaktur Exclusive Edition para o GT 53, que faz sua estreia nos Estados Unidos. Ela se difere pelo exclusivo tom vermelho rubi metálico combinado a um pacote de acabamento prateado/cromado que aparece na grade dianteira, janelas laterais e nas belas rodas AMG de 21 polegadas com desenho exclusivo.

Galeria: Mercedes-AMG GT Coupé 2022

Mas a maior mudança mesmo fica para a cabine, que traz em todas as versões um novo volante com design de raios duplos na porção superior, que ainda recebe novos botões totalmente integrados à superfície do volante e seletor de modos de condução reposicionados para melhor ergonomia. Já as aletas de alumínio para trocas manuais de marchas foi deslocada mais para baixo.

Aliás, o volante tem como opcional o sistema de aquecimento nas versões V6, sendo de série nos modelos topo de linha com propulsor V8. Na versão Manufaktur Exclusive Edition, o GT 53 conta com revestimento interno com couro nappa Neva Grey (cinza), acabamento em madeira e novo volante AMG Performance.

2022 Mercedes-AMG GT 4 portas Coupe Interior

Outra mudança interessante no interior foi que o GT 4 agora pode contar com um total de cinco lugares, já que antes o sedã-cupê contava somente com dois assentos independentes na segunda fileira de bancos. Agora, o terceiro banco é opcional e deixa o modelo um tanto mais versátil – e com cabine mais ampla. Além disso, o habitáculo pode contar com novas opções de revestimento nas cores Sienna Brown (marrom), Classic Red (vermelho), Yacht Blue (azul), Deep White (branco), além do já mencionado Neva Grey (cinza). Os interessados ainda podem optar pelo acabamento em couro tradicional ou couro combinado a camurça.

Já debaixo do capô segue tudo igual: os modelos GT 43 e GT 53 contam com o mesmo motor seis cilindros em linha de 3,0 litros turbo combinados ao EQ Boost, sistema híbrido leve da marca alemã. O primeiro rende 367 cv e o segundo 435 cv, com números de aceleração de 0 a 100 km/h ficando em 4,8 e 4,4 segundos, respectivamente. Por fim, o sedã-cupê recebeu uma suspensão adaptativa (a ar) mais refinada com duas válvulas limitadoras de pressão, com uma controlando o amortecimento de rebote e a outra controlando o amortecimento de compressão. Assim, segundo a marca, a força do amortecimento é ajustada de forma precisa para diferentes tipos de uso.

Em relação aos modelos GT 63 e GT 63S, a Mercedes-AMG afirma que divulgará mais detalhes em breve. Mas lembramos que as versões mais potentes do sedã-cupê devem receber uma nova versão híbrida com potência bem acima dos 639 cv do atual GT 63S. 

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com