Investigadas em escândalo marcado pelo bloqueio intencional ao desenvolvimento de novas tecnologias anti-poluição, Volkswagen e BMW devem ser oficialmente penalizadas nas próximas semanas pela União Europeia. Ambas terão de arcar com uma série de multas, que juntas somarão aproximadamente 400 milhões de euros. A punição seria bem mais severa (cerca de € 1,4 bilhão), mas mudanças no escopo da investigação acabaram reduzindo os valores.

Segundo as autoridades antitruste do bloco, as empresas tramaram internamente para limitar controles de emissões de gases poluentes, de modo a restringir propositalmente o lançamento de tecnologias limpas. Dessa forma, o desenvolvimento e a implantação de alguns sistemas de controle de emissões para carros vendidos em toda a Europa foram boicotados deliberadamente.

BMW X5 M50d 2018

Entre as tecnologias sabotadas, destaque para sistemas seletivos de redução catalítica, que reduzem os óxidos de nitrogênio das emissões de veículos movidos a diesel por meio da injeção de uréia (também chamada de AdBlue) no fluxo de gases de escape. Segundo informado, as marcas conspiraram para restringir o tamanho dos tanques de AdBlue entre 2006 e 2014.

"Essas tecnologias tinha o objetivo de tornar os carros menos prejudiciais ao meio ambiente. Esse conluio negou aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível para os fabricantes", afirmou uma das autoridades antitruste do bloco.

BMW e Volkswagen não quiseram comentar. O caso, vale lembrar, não tem qualquer relação com o escândalo do Dieselgate, descoberto em 2015 e que desde então já fez o grupo Volkswagen pagar mais de 31 bilhões de euros em multas e acordos.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com