Quando apresentaram o novo Defender, no Salão de Frankfurt de 2019, muitos fãs do modelo original torceram o nariz para tanto luxo e eletrônica. Do velho topa-tudo britânico sobrou apenas o nome - e, com preços acima de R$ 500 mil, o modelo ficou inviável para quem usava o 4x4 como ferramenta de trabalho ou "brinquedo" em trilhas.

Agora, a novidade: a fábrica Jaguar Land Rover em Itatiaia (RJ) ganhou um centro de restauração para modelos clássicos, independentemente do estado de conservação e por mais antigos que sejam. É a primeira vez que um fabricante de veículos monta no Brasil uma oficina deste tipo.

Land Rover Defender no Centro de Restauração de Itatiaia
Land Rover Defender no Centro de Restauração de Itatiaia
Land Rover Defender no Centro de Restauração de Itatiaia

A "clínica", como é chamado o departamento, iniciou os trabalhos este mês, podendo atender a até 12 carros simultaneamente. Há seis baias para desmontagem e remontagem de veículos, e uma cabine de pintura com qualidade industrial. Até agora, o foco tem sido nos (cada vez mais valorizados) Defender vendidos por aqui entre 1996 e 2011.

"Decidimos criar esta unidade para celebrar o passado de nossas marcas e dar um futuro glorioso aos veículos clássicos de nossos clientes. O local foi estrategicamente pensado, de modo que podemos contar com toda a estrutura e a experiência de nossa fábrica no Rio de Janeiro e oferecer um serviço com peças originais e genuínas da marca Jaguar Land Rover", conta Oscar Neto, diretor da fábrica de Itatiaia.

Galeria: Clínica de Restauração para modelos clássicos Jaguar Land Rover

Antes de começar os serviços, a equipe da Jaguar Land Rover conversa com o cliente para entender todas as particularidades do carro, sua história e as preferências na restauração. É parte do processo de preservação de cada carro.

"Dentro de um carro como esse há muita história. O carro é um pedaço de tudo aquilo que a pessoa leva com ela", explica William Oliveira, gerente de qualidade e manutenção.

Depois que o veículo é restaurado, passa por teste de prova d'água e inspeções de superfície e de pintura, como os automóveis zero-quilômetro. Recebe ainda uma plaquinha atestando que foi reformado dentro da fábrica.

"Isso dá uma sobrevida de mais 15 ou 20 anos a esse carro", calcula William Oliveira.

Para quem quer eternamente um Defender bruto como os de antigamente, é uma solução.

"Trouxe o carro para cá em estado deplorável, porque eu usava ele de uma maneira muito rústica. Hoje estou recebendo um carro que eu quase não reconheço. Ele era assim quando eu o comprei há 20 anos", diz Ney Menandro, dono de um Defender 110 ano 1996 e cliente 001 da oficina de restauração.

Os preços variam de caso a caso. De qualquer forma, saem mais em conta do que um Defender zero quilômetro...

Os clientes interessados nos serviços de restauração podem acessar a página Clínica de Restauração Land Rover ou entrar em contato pelo telefone (21) 97251-2963 ou ainda pelo e-mail clinicaderestauracao@jaguarlandrover.com. A empresa também oferece aos interessados uma visita guiada à fábrica, incluindo as novas instalações da Clínica de Restauração.

Land Rover Defender no Centro de Restauração de Itatiaia

LÁ FORA

Oficinas de restauração mantidas pela própria fábrica não são novidade na Europa. Alguns exemplos são a Jaguar Land Rover Classic e a Aston Martin Works (ambas na Inglaterra), o BMW Classic Center (na Alemanha), o Ferrari Classiche e o Lamborghini PoloStorico (na Itália) e os famosos Porsche Classic e Mercedes-Benz Classic Center (que têm oficinas na Alemanha e nos EUA).

Em 2016, o Jaguar Land Rover Classic comprou e pôs em condições de 0km nada menos do que 25 exemplares do modelo Série I. A restauração foi feita na própria fábrica de Coventry, onde os Land Rover Série I foram produzidos entre 1948 e 1958. Todos foram rapidamente vendidos - e por preços nunca inferiores a US$ 88 mil (o equivalente a R$ 460 mil).

Envie seu flagra! flagra@motor1.com