Chefão da Renault quer elevar padrão dos modelos para aumentar a rentabilidade na região

A Renault reforçou a promessa de elevar o nível de seus modelos no Brasil. Durante uma conferência realizada na última quinta-feira (6), Luca de Meo, CEO da Renault, destacou que quer atender os consumidores brasileiros da mesma forma como atende os consumidores europeus. Isso se refletirá em modelos mais sofisticados e aumento de participação no segmento C.

Ponto que mais chamou a atenção no discurso do executivo foi o fato de reconhecer que temos no Brasil uma linha mais simples do que a encontrada na Europa. "Não queremos tratar o Brasil diferente do que tratamos do mercado europeu. Os clientes do Brasil não merecem menos do que fazemos para os europeus", afirmou de Meo.

Renault Sandero GT Line 2021
Renault Clio 1.0 TCe Intens - Avaliação

O executivo repetiu o discurso de que é preciso aumentar a rentabilidade de seus veículos. "São tempos difíceis, mas temos que melhorar a qualidade dos negócios. Buscamos mercado no Brasil (com modelos mais acessíveis e de alto volume) e isso não foi uma boa ideia, agora temos que elevar o patamar. Temos uma visão cada vez mais clara do que pretendemos fazer em toda a região, em toda América Latina".

Dacia Bigster concept
Dacia Bigster concept
Dacia Bigster concept

Parte dessa estratégia de elevar o patamar passa pelo investimento no segmento C, por ser mais lucrativo. Em fevereiro, o executivo confirmou o investimento no Bigster, SUV maior que o Duster, para "aumentar a média de lucro por unidade", mesmo que tenham que desistir da meta de alcançar 10% de participação no mercado. "Para mim, o Bigster é exatamente o carro que podemos colocar na Renault nos mercados internacionais, onde estamos apostando somente nos carros dos segmentos A e B. Agora eu posso ter um SUV B+ e um SUV C compacto que terão uma margem unitária melhor, com uma imagem potencialmente melhor e a habilidade de conquistar novos clientes", explicou o comandante da Renault.

Galeria: Renault Taliant 2022 - Fotos oficiais

Além do Bigster, as novas gerações de Sandero e Logan também subirão de nível. Diferente do que sempre aconteceu, os modelos abandonarão de vez a simplicidade da Dacia e terão mais refinamento e tecnologia. Para isso, como Motor1.com já antecipou, ambos terão visual exclusivo mais próximos aos do Clio europeu. A mudança será tão grande que o "novo Logan" deve mudar de nome, passando a se chamar Taliant. 

"Vamos elevar o patamar da marca Renault, em 2023, 2024. Vamos buscar cada vez mais valor para a marca Renault", concluiu de Meo.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com