Depois de 74 anos de história, o tradicional V12 está com os dias contados dentro da marca

Depois de aproximadamente 74 anos de história, a presença de motores V12 naturalmente aspirados dentro da Ferrari parece estar com os dias contados. De acordo com reportagem recente da revista britânica Autocar, o próximo 812 GTO Aperta acumula grandes chances de ser o último modelo da marca oferecido com esse tipo de motorização.

A mudança certamente deverá desagradar os consumidores de perfil mais purista, ao mesmo tempo em que quebrará a máxima de que "um supercarro italiano de primeira linha precisa apenas de um motor V12 para satisfazer seus clientes". No entanto, não há como evitar a chegada dos avanços tecnológicos e dos motores eletrificados e mais eficientes.

Galeria: Ferrari 812 Superfast V12

Apesar do risco de extinção, motores V12 aspirados acumulam longa trajetória dentro da Ferrari. O primeiro propulsor do tipo foi lançado pela marca em 1947 no modelo 125 S e até hoje, 74 anos depois, a empresa ainda comercializa veículos nessa configuração. Lançado com proposta inovadora para a época (sem teto e com design chamativo) o 125 S jamais poderia imaginar que a indústria mudaria tanto.

De todo modo, não há como uma marca como a Ferrari fugir dos avanços tecnológicos ou perder o bonde da história em termos de inovação. Apesar do apelo dos fãs mais tradicionais, a empresa precisa ser estratégica e acompanhar os caminhos do mercado. Nessa nova era, a eficiência energética fala mais alto que a tradição e o lançamento de motores turbo, híbridos e elétricos acaba por engolir o legado dos aspirados.

Ouça nosso podcast: