Divisão estabelecerá duas empresas com objetivos específicos

Hoje, a Daimler é o grupo que tem em seu teto diversas marcas, entre elas a Mercedes-Benz. Ao mesmo tempo, tem uma grande força na área de comerciais, incluindo caminhões e ônibus. Com objetivos e metas diferentes, os dois segmentos de negócios deverão se separar até o final de 2021, criando a Mercedes-Benz e a Daimler Truck.

É uma profunda remodelação para um dos maiores grupos do mundo. A divisão de caminhões e ônibus será separada e, com isso, terá independência em diversos setores, além de estar listada na Bolsa de Valores de Frankfurt de forma independente da atual Daimler - isso acontecerá até o final de 2021. Segundo o comunicado, a participação majoritária da nova empresa será distribuída entre os principais acionistas da atual empresa. 

Mercedes-Benz GLB 200 Launch Edition 2021 (Brasil)

Já a Daimler mudará seu nome para Mercedes-Benz. Com isso, focará em automóveis e todos os novos desafios que o setor coloca, como a eletrificação e os sistemas de condução autônoma, por exemplo. Pouco deve mudar para a divisão de automóveis, que seguirá seus planos e com a listagem atual na Bolsa de Valores de Frankfurt e sua administração. 

A nova Daimler Truck terá diversas marcas, como a BharatBenz, Freightliner, Fuso, Mercedes-Benz, Setra, Thomas Built Buses e Western Star. Até então, nada foi dito sobre como ficará a operação no Brasil, que tem as duas empresas, sendo que os caminhões seguem sendo produzidos em São Bernardo do Campo, porém nada deve mudar. 

Mercedes-Benz Sprinter Van Passageiro 19+1

Michael Brecht, presidente do Conselho Geral de Trabalhadores da Daimler, sobre os planos: "A transformação de nossa indústria está avançando rapidamente. Para mantermos o ritmo, precisamos investir em inovações de forma ousada e mais rápida. Para isso, vamos estabelecer um fundo de inovação com um volume de 1,5 bilhão de euros para a Daimler Truck, além de nossos atuais planos financeiros”.

Detalhes serão apresentados no terceiro trimestre deste ano. Neste momento, provavelmente algo sobre a operação brasileira deve ser falado - lembrando que a divisão de automóveis fechou a fábrica de Iracemápolis (SP), onde eram produzidos GLA e Classe C, que será importados em novas gerações entre 2021 e 2022. 

Ouça nosso podcast