Quer saber qual é a potência da nova Raptor? Nós também...

Um dos veículos mais vendidos do mundo, a Ford F-150 foi revelada em junho passado na versão normal e, desde então, criou a expectativa pela variante esportiva. A Ford F-150 Raptor 2021 enfim é apresentada oficialmente e, à primeira olhada, até parece muito com a versão normal, com algumas mudanças no design. Mas é bem mais do que isso, escondendo grandes inovações sob sua carroceria.

Para começar, vamos falar da parte mecânica da Ford F-150 Raptor 2021, que é o que muita gente quer saber. A marca ainda não divulgou os números de desempenho, o que poderia ser um pouco preocupante, já que a Ram TRX roubou o título de picape mais potente do mundo. Só que a Raptor tem tudo para conseguir superar a rival, pois a marca confirma que voltará a oferecer um motor V8 em breve, na versão Raptor R. O propulsor escolhido não foi revelado, mas tudo aponta para o 5.2 V8 supercharged do Mustang GT500.

Galeria: Ford F-150 Raptor 2021

Enquanto o V8 não vem, a Raptor terá o 3.5 V6 EcoBoost a gasolina, que já equipava a geração anterior e algumas variantes da F-150. Novamente, a Ford não divulgou qualquer número, então não sabemos sua potência, mas espere por mais do que os 456 cv do modelo antigo. A marca diz que mexeu no sistema de escapamento para melhorar a sonoridade, com um seletor de quatro modos: Quiet, Normal, Sport e Baja.

Falando em modos, há um seletor com nada menos que 7 opções para condução: Slippery, Tow/Haul, Sport, Normal, Off-Road, Baja e Rock Crawl, que alteram a resposta da transmissão e do acelerador, a firmeza dos amortecedores e mais. Foram desenvolvidos para aproveitar ao máximo a nova suspensão da Raptor, que foi um ponto em que a marca investiu muito tempo na criação da picape.

2021 Ford F-150 Raptor from the rear
2021 Ford F-150 Raptor turning sharply
2021 Ford F-150 Raptor
2021 Ford F-150 Raptor kicking up sand

A Ford recriou toda a suspensão traseira, adotando uma multilink de 5 braços super-longos na traseira e uma barra Panhard, o que deve entregar uma articulação impressionante. Tem amortecedores Fox de 3,1 polegadas e uma enorme mola de 24 polegadas, conferindo um curso de 35,5 cm na frente e 38,1 cm na traseira.

Este curso da suspensão só é encontrado na picape com os pneus de 35" que vem de série. Caso o cliente resolva trocar pelos pneus de 37" opcionais, o curso cai para 33 cm na frente e 35,8 na parte de trás. Independente do tamanho do pneu escolhido, o modelo é o BFGoodrich KO2.

2021 Ford F-150 Raptor jumping

Na parte de design, a nova Raptor adota o estilo visto na F-150, recebendo novo capô, grade dianteira diferente (com o nome "Ford" escrito por extenso) e lanternas levemente modificadas. São pequenas coisas, mas que funcionam para mostrar que é uma versão esportiva ao invés da normal. E, por enquanto, só será vendida na versão de cabine dupla.

Do lado de dentro a conversa é outra, pois as diferenças são bem pequenas. Recebe alguns detalhes em laranja, como a costura do acabamento ou a faixa no volante, além de algumas peças em fibra de carbono. Outra novidade fica para as aletas atrás do volante, vindas do Shelby GT500. Mas é só isso, pois conta com os mesmos equipamentos, como a multimídia integrada ou o painel de instrumentos digital, ambos com telas de 12".

Como a Ford não está compartilhando a potência e torque da nova F-150 Raptor 2021, é claro que ela também não revelou os preços ainda, o que só deve acontecer em meados do ano, quando as vendas forem iniciadas. Considerando que o modelo atual custa US$ 56.440 na versão de cabine dupla, é provável que a marca mantenha o valor abaixo dos US$ 60 mil, para poder deixar o espaço acima para a Raptor R no futuro.

Agora resta ver se a Ford F-150 Raptor finalmente chegará ao Brasil. A marca ensaia o seu lançamento há tempos e até trouxe uma unidade para mostrar no Salão do Automóvel de São Paulo 2018 (quando tivemos a chance de acelerar a picape), na época dizendo que era apenas para mostrar para seus clientes. Com o novo plano da empresa de apenas importar os carros vendidos no país e com a chegada da Ram 1500, quem sabe isso não mude.