Nova estratégia global transformará completamente a linha de veículos, mas ainda demora

A General Motors surpreendeu o mundo ao anunciar que venderá apenas veículos com emissão zero a partir de 2035. Isso significa que nenhum carro, SUV ou picape, terá motores a combustão. Para ficar mais claro: nem gasolina, etanol, diesel, flex, biodiesel, nada disso. No seu lugar entrarão carros 100% elétricos, sejam movidos a baterias ou outra solução limpa, como células de combustível. Mas a pergunta que paira sobre nossas cabeças: e no Brasil?

Motor1.com Brasil entrou em contato com a GM do Brasil para entender como ficará a operação e linha de modelos e se, de fato, a estratégia afetaria os modelos vendidos em nosso mercado tendo como resposta oficial seguinte: "O compromisso da GM em se tornar tornar neutra em carbono até 2040 é global e, portanto, abrange todas as suas operações".

Fábrica Chevrolet São Caetano do Sul (SP)

Um objetivo desta magnitude, assim como líderes de outros grupos já haviam indicado, não dependerá só dos esforços das montadoras. Também é necessário incluir uma nova geração de consumidores que, desde já, faz suas escolhas por empresas com propósitos. E claro, os governos.

"Fizemos mais um anúncio neste sentido, que estabelece dois importantes marcos: aspiramos vender globalmente somente veículos leves com zero emissão a partir de 2035, com a colaboração de governos, indústria e consumidores e atingir a neutralidade em emissões de carbono em 2040", reforçou a GM do Brasil.

2016 Chevrolet Volt Premier
Chevrolet Spark EV

Esta transição não começou agora. Com a experiência de desenvolvimento de veículos 100% elétricos e que foram ao mercado, como o compacto Spark nos Estados Unidos, o Volt - impulsionado por um motor elétrico mas com energia gerada a partir de um motor a gasolina, e agora o Bolt, a fabricante vem dando grandes passos na evolução de seus modelos. No entanto, o ponto da virada acontece com a chegada da tecnologia de baterias Ultium, desenvolvidas em parceria com a LG Cell. Construídas de forma que podem ser dispostas na vertical ou horizontal, permitem otimizar o armazenamento de energia e o layout de acordo com o design de cada veículo.

"Desde 2017, quando divulgamos nossa visão de liderar a indústria rumo a um futuro com zero acidente, zero emissão e zero congestionamento, a GM vem trabalhando em velocidade acelerada para alcançar este objetivo e anunciou várias iniciativas que demonstram o engajamento da empresa com este compromisso. Entre eles estão a capitalização da Cruise, adquirida em 2016, com aportes realizados pelo SoftBank e Honda e parcerias estratégicas também com Honda e mais recentemente Microsoft para acelerar o desenvolvimento e comercialização de veículos autônomos", diz a empresa em nota.

Além disso, recentemente a GM também anunciou a ampliação dos investimentos de US$ 20 bilhões para US$ 27 bilhões para o desenvolvimento de elétricos e autônomos e o lançamento de 30 novos modelos elétricos das várias marcas da companhia até 2025.

Quais modelos farão parte da nova Chevrolet no Brasil?

Quando olhamos para os modelos à venda no Brasil, com exceção do Bolt, é difícil imaginar o que acontecerá. Como se trata de uma estratégia de longo prazo, ainda veremos evoluções e novos lançamentos com motores a combustão. "Acabamos de anunciar os novos investimentos de R$ 10 bilhões para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias. Valores que serão empregados ao longo dos próximos anos para continuar renovando nosso portfólio e trazendo novas tecnologias de segurança e conectividade", afirmou Nelson Silveira, Diretor de Comunicação da GM América do Sul.

Galeria: Chevrolet Bolt EV 2022

Isso significa que novas gerações dos principais modelos da marca estão a caminho. "Estamos falando de curto e médio prazo e os objetivos globais anunciados são de longo prazo. Lembramos ainda que o Brasil é o segundo maior mercado global da Chevrolet e já participa do processo de eletrificação com a comercialização do Bolt desde o final de 2019. Outras novidades serão anunciadas no futuro, no momento oportuno", destacou o executivo.

Embora a montadora ainda não possa revelar os planos futuros para o Brasil, o comunicado recente e também a resposta enviada ao Motor1.com mostram que se trata de uma linha ampla, e não apenas de alguns segmentos de nicho:

"Cabe ressaltar ainda que o novo posicionamento de marca da GM lançado recentemente durante a CES (Consumer Electronics Show), com a campanha 'EVerybody in', reforça o quão inclusiva é essa transformação que a GM pretende liderar no mercado automotivo. O objetivo é oferecer veículos elétricos acessíveis aos variados públicos em todos os segmentos importantes do mercado, desde veículos de entrada, crossovers, superesportivos, até SUVs e picapes".

Chevrolet Bolt EUV 2022
Chevrolet Bolt 2022
Chevrolet Bolt 2022
Chevrolet Bolt EUV 2022

Neste momento, essa linha ainda está completa. Os novos Bolt e Bolt EUV, que ainda não contam com a tecnologia de baterias Ultium, devem fazer parte do portfólio da Chevrolet no Brasil em breve. A tendência é que grande parte dos futuros carros elétricos da marca integrem, de forma gradual, o portfólio no Brasil.

Produção de carros elétricos no Brasil?

Neste momento não há nenhuma menção de investimentos para produção de carros elétricos no Brasil. No entanto, a GM deu uma dica importante em seu comunicado: "Essa estratégia é global e está sintonizada com a filosofia da GM de 'produzir onde vende'. Esta é nossa abordagem nos maiores mercados onde temos grande presença de manufatura e usamos predominantemente fornecedores locais."

Outro ponto a se considerar ao vislumbrar o futuro da Chevrolet no mercado brasileiro, inclusive com a produção de carros elétricos por aqui, é a importância em volume global. "O Brasil é o segundo maior mercado da marca Chevrolet no mundo, atrás apenas dos EUA", destacou a empresa em nota oficial.

Falando especificamente das fábricas, a sua atualização para a produção de veículos elétricos é algo que a GM já fez. Em 2018, Motor1.com foi até os Estados Unidos visitar a fábrica da GM localizada em Orion, distrito localizado nos arredores de Detroit. O ponto que mais chamou a atenção foi a produção do elétrico Bolt na mesma linha de carros à combustão, Sonic e Sonic Sedan na época.

Todo o processo produtivo era exatamente o mesmo, se diferenciando apenas no momento da junção do trem-de-força (elétrico ou combustão). Em resumo, com exceção das baterias, não há dificuldade alguma para uma empresa com amplo know-how em produção de veículos fabricar carros 100% elétricos. 

Fábrica do Chevrolet Bolt
Fábrica do Chevrolet Bolt
Fábrica do Chevrolet Bolt

Considerando a nova estratégia de vender somente carros de emissão zero a partir de 2035 e a filosofia de se 'produzir onde vende', é algo natural esperar pela produção de elétricos no Brasil. Para concluir, em uma conversa com Carlos Zarlenga, Presidente da General Motors América do Sul, o executivo provocou jornalistas em um evento com a seguinte pergunta: "Quando vocês acham que será produzido o primeiro carro elétrico no Brasil?"

Com a maioria das respostas beirando algo como "daqui uma década", o executivo apenas respondeu: "Será muito antes do que vocês imaginam".

E você, leitor, quando acha que isso acontecerá?

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Envie seu flagra! flagra@motor1.com