Crossover custa na Índia a partir de 499.000 rúpias, o equivalente a R$ 35.430

Considerado um dos lançamentos mais estratégicos já realizados pela Nissan na Índia, o crossover Magnite parece ter caído rápido no gosto do público local. Prova disso é que, apesar da estreia recente, o modelo já acumula inúmeros pedidos e tem superado até as mais otimistas expectativas comerciais da marca. 

Aproximadamente 5 dias depois da estreia, o Magnite já acumulava mais de 5 mil pedidos. Agora, colocando o número de reservas na ponta do lápis, estima-se que a fila de espera em grandes cidades, como na capital Nova Déli, supere o período de 8 meses. Em outras regiões, como Chennai e Calcutá, o tempo é menor, de cerca de 3 ou 4 meses.

Galeria: Nissan Magnite XE - Versão básica

A enorme procura é justificada principalmente pela agressiva política de preços praticada pela Nissan. Não à toa, a maioria dos pedidos se concentra na versão de entrada XE, que custa a partir de 499.000 rúpias (cerca de R$ 35.430 numa conversão direta). Para efeito de comparação, o concorrente mais próximo em termos de preço inicial é o Kia Sonet, que começa em 671 mil rúpias (aproximadamente R$ 47.640).

Na versão de entrada XE, o Magnite dispensa recursos como rodas de liga-leve ou calotas (adota rodas de aço de 16 polegadas), central multimídia, faróis em LED e até mesmo os chamativos DRLs do para-choque. Ainda assim, oferece rack de teto, airbags dianteiros, freios ABS, vidros elétricos e painel com acabamento em dois tons. A gama é formada ainda pelos acabamentos XL, XV, XV Premium e XV Premium. O mais caro sai por 945 mil (R$ 67.100).

Sob o capô, são oferecidas duas opções de motorização: 1.0 de 3 cilindros em versão aspirada de 72 cv e 9,7 kgfm de torque, e turbo com cerca de 100 cv. O câmbio pode ser manual ou automático do tipo CVT. A plataforma usada é a CMF-A+, versão modificada da arquitetura do Renault Kwid e que é usada também em variantes do sub-compacto, como a minivan Triber e o futuro crossover Kiger.

Nissan Magnite

Magnite no Brasil

No Brasil, o lançamento é aguardado para 2022, com produção local e posicionamento abaixo do Kicks, ocupando o lugar do recém-falecido March. Na prática, deverá enfrentar as versões de entrada do Ford EcoSport, Honda WR-V e o futuro SUV da Fiat desenvolvido com base no Argo.

Fotos: Divulgação