Diretoria aprova plano de reestruturação mantendo marcas italianas dentro da empresa

Após muita especulação, ficou decidido que a Lamborghini e a Ducati continuarão a fazer parte do Grupo Volkswagen. A decisão foi tomada após uma votação da diretoria sobre o plano de reestruturação da empresa, que também determinou que a Bentley passará para o controle da Audi. Isso acaba com os rumores de que as duas marcas italianas seriam separadas do grupo e de que a marca britânica seria até mesmo vendida.

Ao invés disso, a Audi ficará responsável por gerenciar a Bentley a partir de 1º de março de 2021. Segundo a diretoria, a reestruturação permitirá que as duas fabricantes encontrem sinergias em suas estratégias de eletrificação, buscando redução de custos fixos com a meta de 5% para 2023, além de cortar os custos com materiais em 7% nos próximos 2 anos. A diretoria não falou nada sobre Lamborghini e Ducati além de que continuarão a fazer parte do Grupo Volkswagen.

Em novembro, uma reportagem dizia que a Lamborghini e a Ducati, junto com o estúdio Italdesign, poderiam ser unidas em uma única empresa. Na época, o CEO da Volkswagen, Herbert Diess, disse que a ideia era colocar as três em "uma única estrutura legal". Isso ainda pode acontecer, pois Diess afirmou que seria um processo lento, mas que não está acontecendo ainda. Também no mês passado, Stephan Winkellman assumiu o comando tanto da Lamborghini quanto da Bugatti, retornando após deixar a empresa em 2016.

A reestruturação deve ajudar a Lamborghini a encontrar um novo caminho para a próxima década, com a eletrificação tornando-se parte importante da motorização nos próximos modelos. Porém, não espere por nenhum modelo puramente elétrico da Lamborghini ou Bugatti em breve. Winkelmann disse que nenhuma das marcas estuda lançar um esportivo deste tipo nesta década, por achar que a tecnologia não atende às demandas de performance no momento.