Estreia na região acontece nesta semana, por enquanto apenas no Chile

Um dos lançamentos mais especulados da Renault para a América do Sul, o SUV-cupê Arkana acaba de desembarcar oficialmente na região. A estreia acontece no Chile, tradicional mercado importador e, por enquanto, o único a receber o modelo. A chegada a outros países da região, como Argentina e Brasil, foi bastante cogitada, mas os planos parecem não ter vingado.

No mercado chileno, o Arkana fica posicionado acima do Duster e do Captur, e abaixo do Koleos. É vendido nas versões Life, Zen e Intens, sempre com motor 1.3 turbo de 150 cv e câmbio automatizado de 7 marchas e dupla embreagem. Os preços variam entre 16.490.000 e 20.490.000 pesos chilenos (cerca de R$ 122.735 e R$ 152.506, respectivamente, numa conversão direta).

Galeria: Renault Arkana (2020)

A lista de itens de série da versão básica inclui 6 airbags, piloto automático e sistema multimídia com tela de 7 polegadas. O modelo intermediário acrescenta ar-condicionado automático, faróis de neblina, chave inteligente, câmera de ré, rodas diamantadas de 17 polegadas e retrovisores rebatíveis eletronicamente, enquanto o acabamento de topo tem a mais alerta de pontos cegos, sistema de som Bose, quadro de instrumentos digital e rodas aro 18".

A especificação vendida no Chile é importada da Coreia do Sul e praticamente idêntica à configuração que foi anunciada recentemente na Europa. Na prática, tem interior exclusivo e mais refinado na comparação com o Arkana vendido na Rússia, que tem painel mais simples e próximo do Duster. Outra diferença está na plataforma, que é a CMF-B no coreano/europeu e B0 no russo.

No Brasil, o Arkana era esperado como sucessor indireto do finado Fluence, mas a Renault local parece estar focada em outros projetos - como a reestilização do Captur e o provável SUV compacto menor que o Duster.

Fotos: Divulgação