Será produzida no Uruguai e está confirmada para 2021 no Brasil

O retorno da Peugeot no segmento das picapes médias está cada vez mais próximo. A fabricante anuncia que irá apresentar a Peugeot Landtrek para a América Latina no próximo dia 24 de novembro. O lançamento na região começará pelo México, em seguida desembarcando no Equador, Peru, Guatemala, Panamá, Paraguai, República Dominicana e Uruguai. O Brasil fica para a segunda fase do lançamento, marcada para 2021, junto com Argentina e Chile.

Por enquanto, a Peugeot Landtrek é produzida apenas em Shenzhen (China), mas a fabricante já trabalha na renovação do complexo de Nordex, em Montevideo (Uruguai), como já vimos em fotos publicadas pelo Argentina Autoblog. Atualmente, a fábrica é usada para montar as vans Citroën Jumpy e Peugeot Expert em regime CKD (com peças importadas), mesmo esquema que deve ser usado para a picape média.

Galeria: Peugeot Landtrek 2020

Nascida de uma parceria com a chinesa Changan, com quem a PSA tem uma joint-venture para produzir e vender modelos no país oriental, a Landtrek foi pensada para o mercado latino-americano e africano – não há planos de vendê-la na Europa ou Ásia. Na China, existe também uma variante da Changan chamada Kaicene F70, com diferenças no design e na lista de equipamentos.

Medindo 5,53 metros de comprimento, 1,92 m de largura e com uma caçamba para 1 tonelada (5,39 m de comprimento e 1,2 tonelada de capacidade na versão de cabine simples), a picape irá brigar diretamente com Chevrolet S10, Ford Ranger, Mitsubishi L200 Triton, Nissan Frontier, Toyota Hilux e Volkswagen Amarok. Jean Phillipe Imparato, CEO da Peugeot, disse ao Motor1.com que ela foi feita tendo a Hilux como ponto de referência.

Ainda não está clara qual será a oferta de versões e motores para o Brasil. Nos outros países, a Landtrek terá as variantes cabine-chassi, cabine simples e cabine dupla, podendo utilizar os motores 2.4 turbo a gasolina, de 210 cv e 32,6 kgfm, e o 1.9 turbodiesel de 150 cv e 35,7 kgfm. Ambos contarão com a transmissão manual de 6 marchas, enquanto a variante a gasolina pode ser comprada com um câmbio automático de 6 marchas. Terá tração 4x4 com reduzida e diferencial traseiro blocante. A mídia latina diz que o 1.9 turbodiesel pode ser trocado pelo 2.0 turbo do furgão Peugeot Boxer para os mercados locais.