No Brasil, configurador perde a versão de entrada, 250 TSI

O VW Jetta vendido nos Estados Unidos e no Brasil tem a mesma "maternidade". Produzido no México, o sedã médio deve receber sua primeira reestilização da atual geração em breve e, ao menos para o mercado norte-americano, um novo motor 1.5 turbo, mais eficiente - para nós, provavelmente apenas a mudança visual. 

A informação vem diretamente dos Estados Unidos. Por lá, o SUV Taos terá o motor 1.5 turbo e será produzido na mesma fábrica do Jetta, o que despertou a curiosidade sobre o destino do sedã. Além de seguir vendido por lá, o Jetta receberá o motor 1.5 turbo no lugar do 1.4 turbo, um propulsor mais moderno e eficiente que já roda na Europa há alguns anos. 

VW Jetta 250 TSI

Junto, o Jetta terá sua primeira reestilização da atual geração entre 2021 e 2022. Não deve ser nada profundo, provavelmente apenas uma atualização principalmente em parachoques, faróis, lanternas e rodas, sendo que o interior deve também ter leves mudanças e receber o novo volante da marca ao redor do mundo. 

E o Brasil?

Há alguns dias, recebemos mensagens dizendo que o Jetta tinha sumido do site da Volkswagen. Pois ele retornou sem a versão 250 TSI, de entrada, mantendo a Comfortline, R-Line e GLI. Os demais ainda aparecem como linha 2020, sem novidades, sendo que a última mudança trouxe o painel de instrumentos digital para o Jetta Comfortline. Por muito tempo, o Jetta 250 TSI apareceu no configurador ainda como linha 2019, provavelmente esperando o fim dos estoques. Os preços são de R$ 129.700 (Comfortline), R$ 137.280 (R-Line) e R$ 167.140 (GLI 2.0 turbo). 

Galeria: Volkswagen Jetta GLI (Teste BR)