Família ganhará nova geração, mas mudanças importantes estão sendo pensadas

Apesar da circulação de rumores sobre um eventual fim de linha, o Mégane seguirá firme e forte no portfólio da Renault pelos próximos anos. Conforme adianta reportagem da agência de notícias Reuters, o modelo não só será mantido em produção como se tornará “um pilar para os demais lançamentos do segmento C”. No entanto, passará por uma série de mudanças para ficar mais competitivo e atrativo diante das mudanças do mercado.

Entre as novidades, a publicação ressalta os rumores que giram em torno de um inédito crossover. A ideia, segundo informado, partiu diretamente do novo CEO da empresa, Luca de Meo, mas ainda é cercada de mistérios. “Há muitas discussões em torno disso, mas as coisas estão claramente se movendo em direção ao lançamento de um crossover”, disse um informante ligado ao projeto.

Galeria: Renault Mégane 2020

Algumas especulações adiantam que a Renault planeja fazer a transformação do Mégane de hatchback médio para crossover, dada a crescente preferência do mercado por esse estilo de carroceria. No entanto, o rumor esbarra no fato de a marca já possuir diversos modelos posicionados nesse nicho, como Arkana, Kadjar e Koleos.

Já outra corrente adianta que o especulado crossover será na verdade um modelo de estilo alternativo, que chegará para ampliar a gama sem necessariamente substituir o Mégane. Nesse sentido, a Renault seguiria a mesma estratégia já adotada na Europa pela Kia. Por lá, a fabricante sul-coreana oferece o hatchback Ceed e o crossover XCeed dentro da mesma família.

De todo modo, é certo que o objetivo da Renault consiste em apostar no desenvolvimento de veículos mais caros (com margens de lucro maiores) para ganhar independência em relação aos modelos mais baratos. Atualmente, a marca concentra boa parte das vendas na Europa em carros pequenos e de margens consideradas mais curtas, como Clio e Captur. Além disso, carros maiores que vendem pouco, como Espace, Scénic e Talisman, podem sair de linha.