Marca manterá fábrica de peças em São Bernardo do Campo e irá vender prédio da administração

A Toyota anunciou que irá retirar sua parte administrativa de dentro da fábrica em São Bernardo do Campo (SP) e transferir tudo para Sorocaba (SP), dentro de sua planta na cidade paulista. A mudança será feita a partir de janeiro de 2021 e afetará somente o prédio da administração da fabricante, que será vendido, enquanto a fábrica de peças no Grande ABC seguirá em operação normalmente.

Esta alteração foi anunciada pro Rafael Chang, presidente da Toyota no Brasil, na última sexta-feira (18), em uma comunicação interna para todos os funcionários. O plano já existia e ele foi acelerado após a pandemia. A justificativa seria deixar a empresa mais enxuta e colocar a administração mais próxima de sua principal fábrica no país, para agilizar e simplificar alguns dos processos. E, ficando em Sorocaba, a administração estará próxima também de Indaiatuba e Porto Feliz, onde estão as outras duas linhas de produção no interior paulista.

Galeria: Toyota inaugura centro de pesquisa em São Bernardo (SP); o 1º da marca na América Latina

A fábrica de Sorocaba (SP) atualmente é responsável pela linha Etios e Yaris, além de estar terminando a preparação para fabricar o Corolla Cross, SUV médio baseado no sedã que será lançado entre março em abril de 2021, conforme adiantado com exclusividade por Motor1.com. O complexo recebeu um aporte de R$ 1 bilhão para produzir carros com a plataforma TNGA.

Já a linha de montagem em São Bernardo do Campo continuará em operação, produzindo componentes não só para a fábrica de Porto Feliz, como também para exportação para os EUA, usados na montagem do sedã Camry. O terreno será dividido para separar a fábrica do prédio onde ficava a administração, pois ele será vendido após a mudança dos 800 funcionários. A marca abriu um programa de demissão para 300 funcionários do administrativo, mas ele não afeta os empregados da produção em SBC.

Com a saída da administração da Toyota de São Bernardo do Campo, a cidade do Grande ABC perde força novamente como polo da indústria automotiva. A Ford fechou sua fábrica na cidade recentemente e transferiu os escritórios para São Paulo, enquanto a Mangels, produtora de autopeças, mudou-se para Três Corações (MG). Mercedes-Benz, Scania e Volkswagen continuam na cidade, já instaladas dentro de fábricas com produções mais expressivas, enquanto a General Motors fica em São Caetano do Sul, também dentro de um complexo que é responsável por modelos como o novo Tracker.