Fantasma do Dieselgate volta a assombrar executivos do grupo Volkswagen

Considerado um dos principais órgãos de fiscalização veicular da Europa, a Agência Federal dos Automóveis da Alemanha, KBA, confirmou nesta semana que investigará a Porsche por suspeita de manipulação de motores. De acordo com a entidade, o objetivo é apurar possíveis adulterações dos índices de consumo e emissão de poluentes de propulsores a gasolina produzidos antes de 2017.

Os motores investigados foram desenvolvidos entre 2008 e 2013 e equiparam diversos modelos, incluindo Panamera e 911. As possíveis manipulações incluem modificações de software e hardware, que teriam afetado o sistema de tratamento de gases do escapamento e gerado alterações nos resultados dos testes de emissões.

Galeria: Porsche 911 Carrera S Teste BR

Por meio de porta-voz, a Porsche informou que apoia as investigações e que iniciou uma própria apuração interna para detalhar melhor os fatos. A marca também tranquilizou consumidores e garantiu que modelos novos não são afetados.

No ano passado, a Porsche assinou um acordo de US$ 630 milhões com promotores alemães pelo uso de dispositivos fraudulentos de software em seus motores a diesel, muito semelhantes aos usados ​​pela Volkswagen no Dieselgate. Como resultado do processo judicial, a marca anunciou sua retirada definitiva do mercado de carros a diesel e admitiu que o escândalo teve forte impacto negativo na imagem da empresa.