Quarta geração do crossover médio usará plataforma modular VSS-F do novo Trailblazer global

O Chevrolet Equinox ainda não foi reestilizado, o que acontecerá no ano que vem, e a marca já está trabalhando na próxima geração. Segundo o site GM Authority, a General Motors pretende colocar a quarta geração do crossover médio nas concessionárias em 2024, como modelo 2025, descartando a plataforma D2 para usar a VSS-F do Trailblazer vendido na China e nos EUA.

Pela nova estratégia da General Motors, a fabricante irá reduzir drasticamente a quantidade de plataformas, usando uma nova arquitetura chamada VSS (Vehicle Strategy Set). Ela é dividida em quatro tipos: F (tração dianteira), S (SUVs grandes), T (picapes e carros com carroceria sobre chassi) e R (tração traseira). A VSS-F tem uma variante de baixo custo, que é usada nos modelos da linha GSV (Global Small Vehicle), como os nossos Onix, Onix Plus e Tracker.

Galeria: Chevrolet Equinox 2021

Para se adequar à essa estratégia, o Chevrolet Equinox abandonará a plataforma D2XX do Cruze para adotar a VSS-F, assim como foi com o Buick Encore GX e Chevrolet Trailblazer. Com a nova arquitetura, o SUV médio pode ficar um pouco maior para ajudar a diferenciá-lo do recém-lançado Trailblazer (não confundir com o Trailbazer brasileiro, feito baseado na S10). Pode até mesmo receber sete lugares, de forma a competir melhor contra alguns rivais como Volkswagen Tiguan Allspace.

Apesar da informação de uma data para o lançamento do novo Equinox, ainda é cedo para saber qualquer detalhe sobre como será o carro. As únicas indicações podem vir das mudanças que a GM fará no Equinox reestilizado, como a simplificação da linha para apenas uma motorização, com o 1.5 turbo de 172 cv, pois o 2.0 turbo de 262 cv não será mais oferecido para o SUV. Como a GM não trabalha mais com modelos híbridos, não devemos ver uma variante deste tipo. A única possibilidade de eletrificação seria uma versão totalmente elétrica.

Antes disse, veremos a renovação do Chevrolet Equinox. Ela já foi apresentada (veja galeria mais acima) e já deveria estar nas concessionárias nos Estados Unidos. Porém, a fabricante teve que adiar a estreia para o ano que vem, o que afetou também sua chegada ao Brasil, antes prevista para este ano. Com isso, ele só fará sua estreia no ano que vem em ambos os mercados.

Fotos: divulgação