Novo modelo brigará com Hyundai Venue e Nissan Magnite no segmento de entrada

Especulado há pelo menos dois anos, o inédito crossover de entrada que a FCA desenvolve para ficar abaixo do Jeep Renegade está cada vez mais próximo de se tornar realidade. Ainda sem nome conhecido, o modelo chegará ao mercado em 2022 e atuará em um nicho cada vez maior e mais diversificado: o dos chamados mini-SUVs.

O segmento já atraiu a atenção de marcas como Hyundai (Venue), Kia (Sonet), Renault (Kiger) e Nissan (Magnite), e promete se tornar forte mundo afora pelos próximos anos. No caso da Jeep, a ideia é lançar o novo modelo primeiro na Ásia, onde vem conquistando participação de mercado, e posteriormente em países da Europa. O lançamento na América do Sul também é bastante cogitado.

Galeria: Jeep Baby SUV - Projeção

Assim como os principais rivais, o 'baby Jeep' terá comprimento limitado aos 4 metros e terá a Índia como um importante mercado. Por lá, a limitação de tamanho é considerada estratégica e veículos enquadrados nesse padrão acabam recolhendo menos impostos. Fontes ligadas ao projeto falam também no lançamento de uma versão híbrida e na presença de uma série de recursos de conectividade no interior, uma vez que será um carro com foco voltado ao público jovem.

O design terá pegada dinâmica e será fiel às novas tendências estéticas da marca - a projeção desta página, por exemplo, sugere inspiração no conceito Yuntu de 2017. Uma eventual concorrência interna com o Renegade não é considerada uma preocupação, tendo em vista que este mudará de geração em 2022 e ficará maior, abrindo espaço abaixo para o irmão caçula - o Renegade atual, para efeito de comparação, mede 4,23 metros de comprimento.

Jeep: Plano 2018-2022

A plataforma a ser usada ainda não foi revelada, mas desde já há grande expectativa em torno da participação da PSA no projeto. Como já dito, o grupo francês negocia com a FCA um acordo de fusão, com eventuais desdobramentos sobre o desenvolvimento de novos modelos. Apesar do porte compacto, a ideia é não abrir mão da capacidade off-road que caracteriza o DNA da Jeep. A conferir.

Projeções: Motor1.com